Acórdão da ‘Operação Fizz’ está marcado para hoje no Campus de Justiça

A leitura da decisão do processo Operação Fizz, que tem arguidos um ex-procurador, um advogado e um empresário, está marcada para a tarde de hoje, no campus de justiça em Lisboa.

Acórdão da 'Operação Fizz' está marcado para hoje no Campus de Justiça

Acórdão da ‘Operação Fizz’ está marcado para hoje no Campus de Justiça

A leitura da decisão do processo Operação Fizz, que tem arguidos um ex-procurador, um advogado e um empresário, está marcada para a tarde de hoje, no campus de justiça em Lisboa.

A leitura da decisão do processo Operação Fizz, que tem arguidos um ex-procurador, um advogado e um empresário, está marcada para a tarde de hoje, no campus de justiça em Lisboa.

O ex-procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) Orlando Figueira, o advogado Paulo Amaral Blanco e Armindo Pires, empresário e amigo do ex-vice-presidente de Angola Manuel Vicente, conhecem hoje o acórdão do processo cujo julgamento começou a 22 de janeiro e que contou com mais de 60 sessões.

Os três arguidos responderam em tribunal por corrupção, branqueamento de capitais e falsificação de documentos, em coautoria.

Na origem deste processo estão alegados pagamentos de Manuel Vicente, em cerca de 760 mil euros, e a oferta de emprego a Orlando Figueira para ir trabalhar com assessor jurídico do Banco Privado Atlântico, em Angola, em contrapartida pelo arquivamento de inquéritos em que o antigo presidente da Sonangol era visado, designadamente na aquisição de um imóvel de luxo no edifício Estoril-Sol.

LEIA MAIS: Arguidos do processo ‘e-toupeira’ sabem se vão a julgamento em 13 de dezembro

Contudo, no julgamento da Operação Fizz, Orlando Figueira garantiu que foi o presidente do BPA Carlos Silva o responsável pelo seu contrato de trabalho (nunca cumprido), afirmações desmentidas pelo ex-procurador do MP.

Contradições nas declarações levaram a procuradora do Ministério Público Leonor Machado a manifestar a intenção de extrair certidões para o banqueiro Carlos Silva e para o seu advogado Proença de Carvalho, mas que ainda não foram efetuadas.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS