Open House Lisboa 2019 desafia a descobrir uma Lisboa sem centro

A 8.ª edição do Open House Lisboa vai desafiar o público a “descobrir uma Lisboa sem centro” entre 21 e 22 de setembro, com um novo roteiro desenhado pela arquiteta e investigadora Patrícia Robalo, foi hoje anunciado.

Open House Lisboa 2019 desafia a descobrir uma Lisboa sem centro

Open House Lisboa 2019 desafia a descobrir uma Lisboa sem centro

A 8.ª edição do Open House Lisboa vai desafiar o público a “descobrir uma Lisboa sem centro” entre 21 e 22 de setembro, com um novo roteiro desenhado pela arquiteta e investigadora Patrícia Robalo, foi hoje anunciado.

O evento, organizado pela Trienal de Arquitetura de Lisboa, é realizado em parceria com a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), e vai integrar mais uma vez o programa “Lisboa na Rua”.

Em foco, desde a primeira edição, estará a celebração da arquitetura de Lisboa, abrindo ao público, de forma gratuita, casas privadas, espaços culturais, infraestruturas, escolas, bairros, redes de mobilidade, jardins, entre outros espaços, muitos deles habitualmente vedados aos visitantes.

Este ano, a Trienal convidou a arquiteta e investigadora Patrícia Robalo para comissária, que introduziu uma nova perspetiva no evento: “A exclusão do centro de Lisboa do âmbito geográfico do Open House 2019 pretende superar a exemplaridade da cidade tradicional como construção única da condição urbana”, segundo uma explicação da arquiteta divulgada pela organização.

“Pretende descentralizar, diversificar e ampliar a seleção de espaços do roteiro, reveladores da multiplicidade de localizações, enquadramentos urbanos, dimensões espaciais, tectónicas e programáticas dos espaços por que a cidade é composta”, acrescenta.

Os primeiros locais confirmados são o Palácio das Necessidades, o Teatro Lu.ca, a Casa no Restelo, o Garage Films e a Torre de Habitação Célula C dos Olivais.

No sentido de continuar a lógica de abertura da arquitetura aos diferentes públicos, o programa Open House Lisboa 2019 vai ainda contar com concertos, performances, filmes, debates e interpretações coletivas que potenciam as leituras e dimensões físicas de lugares destacados a partir do roteiro.

O roteiro vai fazer um cruzamento com os programas Plus, Júnior e de Acessibilidade, destinados a públicos específicos.

Arquiteta pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, Patrícia Robalo vive e trabalha na capital portuguesa e é doutoranda na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, com investigação sobre a construção metropolitana de Lisboa.

Trabalhou com De Blacam and Meagher Architects, em Dublin, em diferentes ateliers de Lisboa e fundou o atelier MUTA.

Inaugurada em 1992, em Londres, a rede internacional Open House Worldwide reunirá, em 2019, um total de 46 cidades em todo o mundo.

Este ano, estreiam-se no evento as cidades de Brno (República Checa), Tallinn (Estónia), Valência (Espanha) e Nápoles (Itália).

AG // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS