OMS alerta para aumento alarmante de casos de sarampo

A Organização Mundial da Saúde alertou hoje para o aumento «alarmante» dos casos de sarampo em todo o mundo, atribuindo a progressão a falhas nos programas nacionais de vacinação.

OMS alerta para aumento alarmante de casos de sarampo

OMS alerta para aumento alarmante de casos de sarampo

A Organização Mundial da Saúde alertou hoje para o aumento «alarmante» dos casos de sarampo em todo o mundo, atribuindo a progressão a falhas nos programas nacionais de vacinação.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou esta sexta-feira, 11 de outubro, para o aumento «alarmante» dos casos de sarampo em todo o mundo, atribuindo a progressão da doença a falhas nos programas nacionais de vacinação e a crenças falsas. A doença, que regressou a vários países onde foi erradicada, como o Reino Unido, «está a ter um impacto devastador, causando um enorme número de perdas de vidas, afetando economias e criando problemas nos sistemas nacionais de saúde», sublinhou a diretora do departamento de Imunização da OMS, Kate O’Brien, numa entrevista coletiva de um grupo de especialistas que se reuniu esta semana em Genebra.

LEIA DEPOIS

Marcelo Rebelo de Sousa nega “situação grave” do seu estado de saúde

O número de casos de sarampo triplicou em todo o mundo

O número de casos em todo o mundo triplicou (em meados deste ano havia mais de 360.000) e foram declarados surtos na América Latina (Brasil e Venezuela), onde o sarampo foi considerado erradicado. De acordo com o médico mexicano Alejandro Cravioto, presidente do grupo de especialistas em imunização – que analisou as campanhas de vacinação em todo o mundo -, «a ideia de que podemos erradicar o sarampo está muito distante», por isso os esforços devem ser redobrados.

São necessárias duas doses da vacina na infância para uma imunização eficaz

Um dos desafios, de acordo com o especialista, passa por tornar mais conhecido o facto de que são necessárias duas doses da vacina durante a infância para uma imunização eficaz, já que, enquanto a primeira é inoculada a 86% das crianças do planeta, a segunda apenas alcança 70%.

Alguns países não vacinam as crianças por «razões religiosas»

Kate O’Brien apontou ainda a circunstância de em alguns países haver comunidades inteiras que não vacinam crianças «por razões religiosas, certas crenças ou por falta de compreensão sobre a segurança das vacinas», numa referência ao movimento anti-vacinação, que tem vindo a ganhar força em países como os Estados Unidos da América.

A título de exemplo, a dirigente da OMS chamou a atenção para o facto de os Estados Unidos terem registado 1.500 casos de sarampo nos primeiros sete meses deste ano. «Há comunidades onde a taxa de vacinação é muito baixa e o vírus se espalha rapidamente», disse.

A reunião de especialistas discutiu ainda os atuais surtos de poliomielite tipo 2 no Afeganistão e Paquistão, assim como no Pacífico Ocidental, especialmente nas Filipinas, onde o surgimento de novos casos é considerado alarmante. Como desenvolvimentos positivos, o grupo de especialistas observou que o poliovírus do tipo 3 poderá em breve ser declarado erradicado em todo o mundo.

Os bons resultados das novas vacinas contra o Ébola na República Democrática do Congo (RDCongo) foram também assinalados com otimismo. Esta campanha particular de imunização «tem sido realizada de forma extraordinária, por verdadeiros heróis, em áreas de conflito e de difícil acesso», sublinhou Alejandro Cravioto.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para sábado, 12 de outubro

 

Impala Instagram


RELACIONADOS