Ocupadas 13 das 38 vagas atribuídas este ano ao Centro Hospitalar de Leiria

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) ocupou 13 das 38 vagas atribuídas este ano pelo Ministério da Saúde, revelou à agência Lusa esta unidade hospitalar.

Ocupadas 13 das 38 vagas atribuídas este ano ao Centro Hospitalar de Leiria

Ocupadas 13 das 38 vagas atribuídas este ano ao Centro Hospitalar de Leiria

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) ocupou 13 das 38 vagas atribuídas este ano pelo Ministério da Saúde, revelou à agência Lusa esta unidade hospitalar.

“Em 2022, o CHL viu atribuídas pelo Ministério da Saúde 38 vagas da carreira médica, 33 vocacionadas para médicos recém-especialistas ou sem vínculo laboral prévio com o SNS e cinco para médicos com relação jurídica de emprego previamente constituída com organismos do SNS [Serviço Nacional de Saúde]”, referiu o CHL.

De acordo com o CHL, “destas vagas foram preenchidas 13, das quais nove vocacionadas para médicos recém-especialistas ou sem vínculo laboral prévio com o SNS e quatro para médicos com relação jurídica de emprego previamente constituída com organismos do SNS”.

O CHL explicou que as especialidades para médicos recém-especialistas ou sem vínculo laboral prévio com o SNS foram cirurgia geral, gastrenterologia, dermatovenereologia, medicina interna, nefrologia, oftalmologia, ortopedia e pediatria, neste último caso com duas vagas.

Já nas especialidades para médicos com relação jurídica de emprego previamente constituída com organismos do SNS estão a imunohemoterapia (duas vagas), medicina interna e ortopedia.

Quanto às vagas que não foram preenchidas, o CHL constatou que “a principal dificuldade prende-se com o facto de o Ministério da Saúde abrir mais vagas do que candidatos, o que leva a que os médicos optem por ficar ou por se fixar em hospitais mais convenientes do seu ponto de vista”.

“O outro facto tem a ver com o reduzido número de especialistas que acabaram a formação, insuficiente para as necessidades do país”, adiantou o CHL, exemplificando que “acabaram a especialidade de urologia oito especialistas e foram colocados a concurso (ou seja, consideraram-se necessidades do SNS) 21”.

No caso de ginecologia/obstetrícia, os “novos especialistas foram 26 e os lugares a concurso foram 61”, apontou ainda.

O CHL salientou que “tem pugnado, ativamente, pelo recrutamento de trabalhadores médicos, nomeadamente pelo recurso aos mecanismos legais de mobilidade, e a contratações diretas, não circunscrevendo o reforço do seu mapa de pessoal médico aos concursos nacionais desenvolvidos” pela Administração Central de Serviços de Saúde.

“Para o efeito, o CHL prossegue a criação de condições de trabalho, de diferenciação técnica e de desenvolvimento profissional, enquanto mecanismos de atração de trabalhadores médicos das diversas especialidades”, realçou.

À pergunta sobre quando se prevê o preenchimento das vagas, respondeu que “têm sido progressivamente preenchidas, sendo que o CHL continuará a diligenciar nesse sentido, dentro do quadro legal aplicável”.

O CHL integra os hospitais de Santo André, em Leiria, de Pombal e Bernardino Lopes de Oliveira, em Alcobaça.

Segundo o seu ‘site’, o CHL tem como “área de influência a correspondente aos concelhos de Batalha, Leiria, Marinha Grande, Porto de Mós, Nazaré, Pombal, Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera, Ansião, Alvaiázere, Ourém e parte dos concelhos de Alcobaça e Soure, servindo uma população de cerca de 400.000 habitantes”.

SR // SSS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS