Obras no Teatro de S. Carlos levam corpos artísticos a atuar fora de Lisboa

As obras em curso no Teatro Nacional de S. Carlos, no palco e na fachada, obrigaram a repensar a programação do teatro lírico, e os seus corpos artísticos a atuar ‘fora de portas’, em Lisboa e noutras cidades.

Obras no Teatro de S. Carlos levam corpos artísticos a atuar fora de Lisboa

Obras no Teatro de S. Carlos levam corpos artísticos a atuar fora de Lisboa

As obras em curso no Teatro Nacional de S. Carlos, no palco e na fachada, obrigaram a repensar a programação do teatro lírico, e os seus corpos artísticos a atuar ‘fora de portas’, em Lisboa e noutras cidades.

A Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP) e o Coro TNSC vão, até ao final do ano, apresentar-se nas Caldas da Rainha, no Centro Cultural e de Congressos, em Almada, no Teatro Municipal Joaquim Benite, no Montijo, no Cine-Teatro Joaquim d’Almeida, e em Loulé, no Cine-Teatro Louletano, além de palcos já habituais em Lisboa, no Centro Cultural de Belém (CCB) e no Palácio da Ajuda, anunciou o TNSC.

O regresso à sala do TNSC, no Chiado, está previsto para 22 de dezembro, depois da substituição do pano de ferro, o obliterador de cena.

No próximo sábado, no ‘foyer’ do TNSC é apresentado “O Pequeno Jardim do Sr. Lacerda”, a partir de “Trente-six histoires pour amuser les enfants d’un artiste”, de Francisco de Lacerda (1869-1934), com texto e conceção artística do tenor Mário João Alves, com João Paulo Santos, ao piano. Um programa, no domingo, também é apresentado no Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, no distrito de Setúbal.

Ainda no TNSC, no próximo dia 26, a soprano Sara Braga Simões e João Paulo Santos, ao piano, apresentam “um repertório de canto e piano em torno da ‘chanson française’ e do cancioneiro musical português dos primeiros decénios do século XX”, incluindo obras do compositor açoriano Francisco de Lacerda e seus contemporâneos.

Francisco de Lacerda fixou-se em Paris, no final do século XIX, onde estudou com Charles Widor e Vincent d’Indy. Adquiriu notoriedade internacional sobretudo como maestro. O seu nome está associado à escola francesa, a par de Fauré, Poulenc, Dukas, Debussy, com quem privou.

Em dezembro, no dia 17, o pianista João Bettencourt da Câmara interpreta, no TNSC, um programa centrado em Lacerda e Vianna da Motta, e “em alguns compositores que os influenciaram”.

João Bettencourt da Câmara concluiu, em 2006, aos 32 anos, com a classificação máxima, o Curso de Piano no Conservatório Nacional de Lisboa. Venceu, em 1999 e em 2000, o Concurso Cidade do Fundão e, em 2001, o Concurso Maria Cristina Lino Pimentel. Tem dois álbuns editados, um a solo, com obras de Liszt, e outro com a Orquestra Sinfónica da Venezuela, com obras de compositores como Domingos Bomtempo, João de Sousa Carvalho e Luís de Freitas Branco.

Nos próximos dias 18 e 21, no Palácio da Ajuda, é apresentado um programa de coro e piano, interpretado com o Coro do TNSC, sob direção de João Paulo Santos.

No dia 20, neste mesmo palácio, atua um conjunto de cordas da OSP, com um programa composto por obras de Mendelsshon, Joly Braga Santos e Béla Bartók, sob a direção do principal concertino orquestra, Pedro Meireles.

Este programa é apresentado no dia 22, nas Caldas da Rainha, no distrito de Leiria.

Como refere o TNSC, em comunicado, há uma opção por “grupos mais reduzidos da OSP e do Coro”, com uma “programação diversificada”.

No próximo dia 29, no Grande Auditório do CCB, a maestrina titular da OSP, Joana Carneiro, vai dirigir a Sinfonia n.º 6, de Mahler, numa “versão para orquestra de câmara”.

Ainda no CCB, mas a 20 de dezembro, Joana Carneiro dirigirá um programa com obras de Wagner, Beethoven e Janácek.

Também em dezembro, os naipes de metais e percussão da OSP, sob direção musical de José Eduardo Gomes, interpretam “um programa festivo”, no dia 15, em Loulé, no Algarve, e, no dia 20, no Montijo, no distrito de Setúbal.

No Teatro Municipal Joaquim Benite, em Almada, nos dias 18 e 19 de dezembro, o maestro João Paulo Santos e elementos do Coro do TNSC e da OSP, com os solistas Carla Caramujo, Marta Magalhães, Carolina Figueiredo, Marco Alves dos Santos e André Baleiro, vão interpretar um programa natalício, centrado na “Oratória de Natal”, de Saint-Saëns, complementado por obras de Liszt e Fauré.

O Concerto de Natal, no dia 22 de dezembro, assinala a reabertura da sala principal do TNSC.

O concerto com o Coro do TNSC, sendo solistas a soprano Susana Gaspar e a meios-soprano Cátia Moreso, é dirigido pelo maestro João Paulo Santos.

No dia seguinte realizar-se-á outro Concerto de Natal, com a OSP. Serão solistas os violinistas Pedro Meireles e Alexander Stewart, sob a direção de Antonio Pirolli, maestro convidado, que dirigiu a ópera “La Wally”, de Alfredo Catalani, em outubro último.

NL // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS