“O país precisa muitíssimo de vós” disse ministra do Trabalho a alunos da Guarda

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social disse hoje aos alunos da Escola Profissional da Guarda que o país precisa de jovens e que o Governo fará tudo para estar “à altura” das suas necessidades e ambições.

“O país precisa muitíssimo de vós” disse ministra do Trabalho a alunos da Guarda

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social disse hoje aos alunos da Escola Profissional da Guarda que o país precisa de jovens e que o Governo fará tudo para estar “à altura” das suas necessidades e ambições.

“O país precisa muitíssimo de vós. E tudo faremos [o Governo] para estar à altura das vossas necessidades, dos vosso sonhos, das vossas ambições. Sendo certo que nunca se esqueçam. O poder está mesmo na mão de cada um, está na cabeça de cada um e não há impossíveis quando nós acreditamos que mandamos na nossa vida”, afirmou Ana Mendes Godinho.

A governante falava durante uma visita à Escola Profissional Ensiguarda, por ocasião dos seus 15 anos a qualificar e a formar jovens para o mercado de trabalho, e para assinalar a abertura do ano letivo 2022/2023.

“Vejo muitas jovens, muitas mulheres aqui na plateia, vejo muitos homens, aqui na plateia. E acreditem, se olharmos para a História, percebemos que parecia impossível que as mulheres entrassem no mercado de trabalho. Hoje em dia não só é possível como é essencial, porque sem as mulheres no mercado de trabalho ninguém tem futuro”, afirmou.

Como mensagem final disse aos alunos: “Nós precisamos de vós. Acreditem que o poder está nas vossas mãos. O poder de garantir que fazemos de Portugal, de facto um país melhor”.

Disse também que conta com eles para que a Guarda seja “cada vez mais uma cidade de talento, uma cidade de inovação, uma cidade de educação e, acima de tudo, uma cidade que cria solidariedade, justiça, e uma sociedade mais justa e com maior igualdade de oportunidades a todos”.

A ministra referiu, ainda, que a Guarda só terá futuro se os jovens que a escutavam acreditarem “que faz sentido” ficar.

“E fazer sentido aqui ficar, quer dizer que nós precisamos desesperadamente de vós para tomarem conta de nós. Para criarem riqueza, para fazerem daqui a vossa vida. Temos um projeto conjunto [Governo e Câmara] do Porto Seco que pode ser completamente transformador do território, mas precisa de gente”, observou.

E concluiu: “Se não tivermos gente para levar o Porto Seco a porto seguro, isso também não acontece. Portanto, nós precisamos de vós. E precisamos também de vós para garantir que Portugal é um país que tem futuro e é um país para viver e para trabalhar e, naturalmente, para todos termos filhos”.

No seu discurso, o presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, disse que a sua presença na cerimónia “representa o sinal da aposta forte do executivo municipal na educação” e o reconhecimento do trabalho que tem desenvolvido desde a sua fundação.

“A Escola Profissional da Guarda tem vindo a afirmar-se no contexto regional e nacional como um exemplo de boas práticas e de ensino de excelência. O seu crescimento rápido, mas sustentado, deve-se ao incansável trabalho e à visão dos seus fundadores e responsáveis, que com a sua experiência, dedicação e saber, tornaram já a Ensiguarda numa referência do ensino”, afirmou.

O diretor da Ensiguarda, João Bento Raimundo, disse que a escola “é uma planta que dá bons frutos”.

“Estamos satisfeitos com os frutos que tem dado, porque os frutos desta árvore que é a escola, sois vós, meus queridos alunos”, observou.

No ‘ranking’ nacional, a escola ocupa o 12.º lugar e caminha para ocupar a primeira posição, prometeu.

Este ano letivo a Ensiguarda é frequentada por cerca de 450 alunos, segundo fonte da instituição.

 

ASR // JEF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS