O furacão “extremamente perigoso” Eta chega a Nicarágua

O furacão Eta, de categoria 4 e considerado “extremamente perigoso”, atingiu hoje a costa nordeste de Nicarágua com ventos máximos de 220 quilómetros por hora, informou o Centro Nacional de Furacões, dos Estados Unidos (NHC, em inglês).

O furacão

O furacão “extremamente perigoso” Eta chega a Nicarágua

O furacão Eta, de categoria 4 e considerado “extremamente perigoso”, atingiu hoje a costa nordeste de Nicarágua com ventos máximos de 220 quilómetros por hora, informou o Centro Nacional de Furacões, dos Estados Unidos (NHC, em inglês).

No boletim das 18:00 GMT, o olho do furacão, o 12.º da temporada ciclónica no Atlântico, estava localizado a 35 quilómetros a sudeste da cidade de Puerto Cabeza, no Caribe nicaraguense.

O Eta está a mover-se para oeste a uma velocidade de cerca de seis quilómetros por hora e um movimento para o noroeste deve começar no final de hoje, com uma diminuição na força dos ventos assim que o centro do furacão se desloque para o interior da Nicarágua, indicou o NGC.

De acordo com o gráfico de trajetória do observatório norte-americano, na madrugada de quarta-feira o Eta vai estar bem dentro do país e já enfraquecido para uma tempestade tropical.

Nesse mesmo dia, mas à tarde, deverá cruzar a fronteira com as Honduras e vai enfraquecer ainda mais, transformando-se numa depressão tropical.

A área da Nicarágua sob alerta de furacão vai desde a fronteira com as Honduras até Sandy Bay Sirpi.

Os efeitos em certas áreas da América Central podem ser tempestades, ventos potencialmente catastróficos e chuvas fortes que podem causar inundações e deslizamentos de terra.

A tempestade pode elevar as águas do mar de 4,2 a seis metros acima do nível de marés nas zonas do país que estão sob aviso.

O Eta transformou-se num “grande” furacão na segunda-feira, quando passou para a categoria 3 na escala de furacões Saffir-Simpson e em pouco tempo subiu para 4, ao aproximar-se da Nicarágua pelo Caribe.

É a primeira vez que o nome Eta é usado desde que as tempestades são denominadas de acordo com uma lista anual, o que significa que 2020 é um ano recorde no Atlântico.

Quando a lista é esgotada, são utilizadas letras do abecedário grego, o que tem acontecido este ano até chegar à Eta.

Já ocorreram 28 tempestades tropicais nomeadas até agora, das quais 12 foram furacões, restando ainda todo o mês de novembro até ao final da temporada.

AXYG // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS