Nova temporada da Culturgest com mais de 40 momentos de criação contemporânea

Estreias de Maria Duarte e Marlene Monteiro Freitas, concertos de Mão Morta e de Rodrigo Brandão com a Sun Ra Arkestra, e a premiada ópera-performance “Sun & Sea” integram a nova temporada da Culturgest, a partir de setembro em Lisboa.

Nova temporada da Culturgest com mais de 40 momentos de criação contemporânea

Nova temporada da Culturgest com mais de 40 momentos de criação contemporânea

Estreias de Maria Duarte e Marlene Monteiro Freitas, concertos de Mão Morta e de Rodrigo Brandão com a Sun Ra Arkestra, e a premiada ópera-performance “Sun & Sea” integram a nova temporada da Culturgest, a partir de setembro em Lisboa.

A Culturgest, dirigida por Mark Deputter, revelou hoje a temporada 2022/2023, contando com “mais de quarenta momentos dedicados à criação contemporânea”, com várias estreias nacionais e internacionais nas áreas da dança, teatro e música, além de exposições, cinema e conferências.

Em setembro acontecerá a estreia de “Mulheres em Lisboa ou as espias de látex na madrugada de 25 de abril”, de Maria Duarte; um espetáculo que se associa ao centenário do nascimento da escritora Agustina Bessa-Luís, que se assinala no outono.

A peça de Maria Duarte é apresentada como “uma alta comédia” a partir de três obras de Agustina Bessa-Luís, “para falar sobre alguns aspetos da vida das mulheres portuguesas e da feminilidade como uma figura que permeia e estorva a trama cultural, política e sexual”.

Ainda em setembro, destaque para o espetáculo “Universal Declaration of Human Rights”, pela companhia Mala Voadora, e para o concerto do músico brasileiro Rodrigo Brandão com a Sun Ra Arkestra, liderada pelo saxofonista Marshall Allen.

A nova temporada da Culturgest, na área do teatro, contará ainda, em novembro, com a já anunciada ópera-performance “Sun & Sea”, das lituanas Rugile Barzdziukaite, Vaiva Grainyte e Lina Lapelyte.

A obra, que venceu o Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 2019, abrirá o Alkantara Festival, nos dias 11 e 12 de novembro, em Lisboa. Estará também a 04 e 05 daquele mês Teatro Rivoli, no Porto.

Em junho de 2023, a Culturgest contará ainda com “Os Possessos”, um espetáculo inspirado no trabalho curatorial de Hans Ulrich Obrist, com sete atores a interpretarem diferentes manifestos para um pequeno grupo de espectadores.

Na dança, a nova temporada assinala várias estreias, nomeadamente da coreógrafa Marlene Monteiro Freitas, com “Ôss”, em parceria com a companhia Dançando com a Diferença, em novembro, também no âmbito do Alkantara Festival.

Em janeiro, acontecerá o regresso da coreógrafa Anne Teresa De Keersmaeker, com “Mystery Sonatas/For Rosa”; uma nova criação “dedicada a mulheres de resistência”: Rosa Bonheur, Rosa Luxemburg, Rosa Parks, Rosa Vergaelen e Rosa, a ativista climática de 15 anos que morreu em 2021.

Ainda na dança, a Culturgest contará, por exemplo, com novas criações de Victor Hugo Pontes, em fevereiro, Lia Rodrigues e Tânia Carvalho, ambas em abril.

Na música, além de Rodrigo Brandão com a Sun Ra Arkestra, a programação até 2023 contará com Circuit des Yeux, Caterina Barbieri, Jenny Hval e duas propostas portuguesas: Surma e Mão Morta com Pedro Sousa.

Nas artes visuais, destaca-se a primeira exposição em Portugal do artista alemão Peter Wachtler ou o acolhimento de programação da Trienal de Arquitetura de Lisboa.

A Culturgest voltará a acolher o festival DocLisboa, em outubro, e várias conferências e debates. Nesta vertente, um dos focos, em novembro e dezembro, será “o ângulo da História e do conceito de Império”, seja “o Império colonial português”, seja o panorama americano, soviético ou a China.

Toda a temporada estará disponível em www.culturgest.pt.

Os bilhetes para todos os espetáculos entre setembro e janeiro de 2023 estarão disponíveis a partir de hoje.

Os bilhetes para os espetáculos a partir de fevereiro de 2023 só estarão à venda em dezembro.

SS // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS