Museu do Caramulo inaugura exposição “A arte da generosidade”

O Museu do Caramulo inaugura no sábado a exposição “A arte da generosidade”, que apresenta os veículos e as peças de automobilia que lhe foram oferecidas desde 2014.

Museu do Caramulo inaugura exposição

Museu do Caramulo inaugura exposição “A arte da generosidade”

O Museu do Caramulo inaugura no sábado a exposição “A arte da generosidade”, que apresenta os veículos e as peças de automobilia que lhe foram oferecidas desde 2014.

Desta forma, aquele museu do concelho de Tondela presta homenagem às pessoas que “abdicaram dos seus automóveis e motos para os partilharem com o público, tendo por base o espírito com que Abel de Lacerda fundou o Museu do Caramulo, em 1953”, com as peças da coleção de arte todas doadas por particulares.

Segundo o museu, a exposição integra automóveis de diferentes núcleos, como os históricos Citroën DS21 Super 5 (1973), “um dos automóveis mais importantes do século passado”, o BMW 327 Cabriolet (1938), “um modelo recordista de vendas da marca, com 1.396 unidades produzidas entre 1937 e 1941”, e o Trabant 601 Limousine (1986), “um veterano do Bloco de Leste que marca a história da Cortina de Ferro”.

No núcleo de automóveis desportivos e de competição pode ver-se o Peugeot 207 S2000 (2007), “com o qual Bruno Magalhães se sagrou Campeão Nacional de Ralis Absoluto e de Grupo N em 2007”, o Formula V Aurora (1969), “um monolugar com base no chassis do popular Volkswagen Carocha construído pela Garagem Aurora”, e o Jaguar E-Type, que é “considerado um dos automóveis mais bonitos de sempre”.

Neste núcleo, estarão ainda o Ferrari 400i (1979), “que foi uma das primeiras versões equipadas com injeção mecânica de combustível”, o Alfa Romeo 75 Turbo (1987), que “foi o último modelo produzido exclusivamente pela casa de Arese antes de esta se adquirida pelo grupo Fiat”, e o Alfa Romeo Giulia GT 1300 Junior (1970), “um impressionante precursor do equilíbrio entre beleza e funcionalidade”.

Aos automóveis junta-se uma moto, a NSU Quickly TT/K (1960), que foi uma das marcas que fabricou “as famosas ‘mopped’, que não eram mais do que uma tentativa dos grandes fabricantes de motocicletas chegarem a um público mais jovem”.

Mas “não só de automóveis se enchem as salas que albergam esta exposição”, que ficará patente até ao final do ano.

“A mostra engloba ainda peças mais pequenas, mas não menos históricas, como placas de publicidade ligadas ao mundo motorizado, modelos promocionais em miniatura, latas de óleo antigas, objetos autografados por pilotos e todo o tipo de automobilia, que, de forma recorrente, são oferecidos ao Museu do Caramulo pela mão de particulares que desejam preservar e partilhar estes objetos com o público”.

Com quase 70 anos de vida, o Museu do Caramulo tem uma coleção de arte, uma coleção de automóveis, motos e bicicletas e uma coleção de brinquedos antigos. A sua atividade estende-se ao Caramulo Experience Center, um polo museológico dedicado à paixão motorizada.

AMF // SSS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS