Mulher morta à facada em Carrazeda de Ansiães

O crime terá ocorrido num quadro de violência doméstica.

Mulher morta à facada em Carrazeda de Ansiães

Mulher morta à facada em Carrazeda de Ansiães

O crime terá ocorrido num quadro de violência doméstica.

Uma mulher foi assassinada na manhã desta sexta-feira, 11 de outubro, em Samorinha, concelho de Carrazeda de Ansiães. O crime terá ocorrido num quadro de violência doméstica. Segundo o Jornal de Notícias, o marido da vítima foi detido.

LEIA DEPOIS

Abusada sexualmente durante sete anos pelo tio

O alerta foi dado depois das 8 horas e no local estiveram 16 meios de socorro, apoiados por seis viaturas, adianta a mesma publicação. Também foi accionado o helicóptero do INEM.

Estado só apoia vítimas de violência doméstica que ganhem menos que o salário mínimo

No ano passado, o Estado deu como concluídos 142 processos. Destes, 55 terminaram sem que fosse aplicada uma indemnização à vítima. 43 não tiveram direito a subsídio por receberem mais que o salário mínimo, fixado em 580 euros.

As vítimas que recebem mais que o salário mínimo não recebem apoio do Estado por não se encontraram em «situação de grave carência económica», avança o JN. Os dados são apresentados no Relatório da Comissão de Proteção às Vítimas de Crimes (CPVC), tutelada pelo Ministério da Justiça, responsável pela medida, que está em vigor desde 2011.

A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) diz que este é um conceito indeterminado que não tem em conta vários fatores, como os filhos. «É errado e prejudicial para as próprias vítimas que não se tenha em contra outros fatores: as despesas da própria vítima, os filhos menores a cargo, a existência de filhos portadores de deficiência. A vítima aufere mais do que o salário mínimo nacional e todos estes fatores não são aqui tidos em conta», considera Inês Gonçalves, jurista da APAV, em declarações ao JN.

LEIA MAIS

Estudante portuguesa de Erasmus morre na República Checa

Impala Instagram


RELACIONADOS