MNE diz que Portugal trabalha para realizar cimeira com Marrocos até final do ano

O Ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) disse hoje que Portugal está a trabalhar para realizar uma cimeira com Marrocos “até final do ano”, na qual estará sobre a mesa a criação de uma ligação marítima entre os dois países.

MNE diz que Portugal trabalha para realizar cimeira com Marrocos até final do ano

MNE diz que Portugal trabalha para realizar cimeira com Marrocos até final do ano

O Ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) disse hoje que Portugal está a trabalhar para realizar uma cimeira com Marrocos “até final do ano”, na qual estará sobre a mesa a criação de uma ligação marítima entre os dois países.

João Gomes Cravinho assistiu, no Algarve, à inauguração do complexo dos Banhos Islâmicos de Loulé e da casa senhorial dos Barretos, no centro histórico da cidade algarvia, e salientou a importância do passado para aprofundar as relações entre os dois países, na presença do embaixador de Marrocos em Portugal, Othmane Bahnini.

“Estamos a apontar para a realização de uma cimeira entre Portugal e Marrocos ainda este ano e esse [a ligação marítima] será um dos grandes temas”, afirmou o governante aos jornalistas no final da inauguração, sublinhando que ainda há “um conjunto de fatores que têm de ser tidos em conta” para o projeto avançar.

Entre esses fatores, identificou o governante, estão “a criação de uma fronteira marítima” que “precisa de ser trabalhada com o Ministério da Administração Interna” ou “as ligações”, que “normalmente são asseguradas por agentes privados e também precisam de ser envolvidos na discussão”.

“Mas estamos de acordo, os Governos de Portugal e Marrocos, quanto à desejabilidade, e pensamos que nos próximos meses teremos capacidade de montar e de juntar todos os elementos para criar esta travessia marítima entre Portugal e Marrocos”, acrescentou.

A mesma fonte reconheceu que este projeto “é uma prioridade com certeza”, mas sublinhou que “não é única”, porque o relacionamento entre os dois países “é rico e variado”, admitiu que Portimão tem sido uma localidade falada para a instalação desta ligação marítima com Marrocos, mas salientou que “há várias possibilidades e quanto a isso os operadores privados têm também de dar a sua opinião.”

Sobre a inauguração dos Banhos Islâmicos de Loulé, João Gomes Cravinho disse ter “uma importância tremenda, porque o passado é prologo para o presente e para o futuro”, porque o edifício demonstra “a intensidade da interação” que Portugal tem “no plano internacional”.

“Aquilo que nós somos hoje como portugueses, aquilo que é a nossa identidade, é composta por uma interação ao longo dos séculos com outros povos, e essa é uma base excelente para o nosso relacionamento contemporâneo e para o futuro com outros países, e nomeadamente com Marrocos”, afirmou.

João Gomes Cravinho considerou que Marrocos “é uma parte intrínseca” da “identidade portuguesa”, tal como Portugal é “uma parte intrínseca da identidade marroquina”, e frisou que “basta olhar para o enorme número de vestígios da presença portuguesa ao longo da costa marroquina para ver isso”.

“Enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros, valorizo muito esta inauguração dos Banhos Islâmicos em Loulé, e quero felicitar por isso o presidente da câmara, que compreendeu a importância e a relevância de múltiplas maneiras deste momento, quer seja no plano cultural, no plano turísticos, mas também no plano do nosso relacionamento externo”, enalteceu o governante.

O ministro adiantou ainda que Portugal e Marrocos estão a trabalhar para a “criação de um acordo de permanência e estadia de marroquinos em Portugal” que permita “criar mecanismos legais, legítimos, que facilitem a vinda para Portugal de marroquinos” e “facilitem também no sentido inverso” a ida de portugueses para Marrocos.

MHC // ACL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS