Ministro da Educação agradece esforço das escolas para garantir “normalidade possível”

O ministro da Educação destacou hoje o trabalho das escolas, agradecendo aquilo que considerou ser um esforço de todas as comunidades possíveis para garantir um novo ano letivo tão normal quanto possível.

Ministro da Educação agradece esforço das escolas para garantir

Ministro da Educação agradece esforço das escolas para garantir “normalidade possível”

O ministro da Educação destacou hoje o trabalho das escolas, agradecendo aquilo que considerou ser um esforço de todas as comunidades possíveis para garantir um novo ano letivo tão normal quanto possível.

“É inabalável o esforço de todas comunidades educativas para que, depois destes dois anos, possamos abrir com toda a normalidade possível este ano letivo”, sublinhou Tiago Brandão Rodrigues, no final de uma visita ao Agrupamento de Escolas D. Filipa de Lencastre, em Lisboa  

O ministro da Educação, que acompanhava o primeiro-ministro, António Costa, numa visita àquele agrupamento em Lisboa para assinalar o arranque de um novo ano letivo, elegeu as escolas e os seus profissionais como protagonistas da sua mensagem.

“Queria saudar as comunidades educativas, agradecer e homenagear todo o trabalho, e dar uma palavra de confiança por todo o trabalho que tem sido feito”, destacou.

Para Tiago Brandão Rodrigues, foi também esse trabalho que permitiu agora começar o ano letivo com alguma normalidade, depois de dois anos marcados pela pandemia de covid-19 que obrigou ao encerramento prolongado das escolas e a reabertura com regras estritas.

Com os professores e funcionários vacinados, bem como a grande maioria dos alunos a partir dos 12 anos, e os rastreios que vão decorrer de forma faseada até 15 de outubro, as aulas recomeçam com mais segurança, mantendo as regras a que já se habituaram no ano passado, por isso, a prioridade será trabalhar para recuperar o tempo perdido.

“Nesse sentido é importante entendermos que as escolas têm a autonomia reforçada, é importante entender que as escolas têm um plano de recuperação das aprendizagens, para podermos pensar verdadeiramente o que é este próximo ano letivo depois de dois anos letivos que foram muito complexos”, afirmou o ministro da Educação.

Nas escolas do Agrupamento de Escolas D. Filipa de Lencastre, o regresso vai ser progressivo: na terça-feira foi a vez dos mais pequenos, do pré-escolar, e hoje começaram as aulas dos alunos dos 1.º e 5.º ano de escolaridade.

De sorrisos escondidos pelas máscaras, obrigatórias a partir do 2.º ciclo, recomendadas no 1.º, mas usadas por todos, os alunos contavam ao primeiro-ministro e ao ministro da Educação que estavam felizes por regressar.

Às quatro turmas visitadas, António Costa e Tiago Brandão Rodrigues repetiram a mesma pergunta: “Estavam com saudades da escola?” Entre os alunos do 1.º e do 5.º ano, as respostas também foram unânimes.

À saída, a orquestra da Escola despediu-se dos governantes com a canção “O primeiro dia”, de Sérgio Godinho.

Por todo o país, esta semana será marcada por primeiros dias, com o arranque oficial do ano letivo que começou na terça-feira e que se vai prolongar até sexta-feira.

No final da visita, também o primeiro-ministro se manifestou confiante de que o novo ano letivo vai decorrer sem sobressaltos.

Num breve discurso, António Costa disse que “graças à vacinação se pode considerar que a pandemia da covid-19 está controlada” e que este é o momento “de transmitir um agradecimento muito profundo às comunidades escolares”.

 

MYCA (PMF) // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS