Mau tempo: Ilha de São Miguel com 41 ocorrências e quatro pessoas realojadas

A proteção civil dos Açores registou hoje 41 ocorrências devido à “chuva intensa” em São Miguel, incluindo o realojamento de quatro pessoas na Ribeira Grande após transbordo de uma ribeira.

Mau tempo: Ilha de São Miguel com 41 ocorrências e quatro pessoas realojadas

Mau tempo: Ilha de São Miguel com 41 ocorrências e quatro pessoas realojadas

A proteção civil dos Açores registou hoje 41 ocorrências devido à “chuva intensa” em São Miguel, incluindo o realojamento de quatro pessoas na Ribeira Grande após transbordo de uma ribeira.

Ponta Delgada, Açores, 23 nov 2021 (Lusa) — A proteção civil dos Açores registou hoje 41 ocorrências devido à “chuva intensa” na ilha de São Miguel, incluindo o realojamento de quatro pessoas no concelho da Ribeira Grande na sequência do transbordo de uma ribeira.

“Na Ribeira Grande, houve necessidade de se proceder ao realojamento de quatro pessoas, na sequência de as suas habitações terem ficado inundadas devido ao transbordo de uma ribeira”, descreve o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), em comunicado.

Aquela entidade diz que “o acesso às Feteiras, na freguesia da Achada, no Nordeste, está condicionado devido a uma derrocada na via”, e a Secretaria Regional das Obras Públicas e Comunicações do Governo dos Açores informou que, devido ao mau tempo em São Miguel, foram interrompidos ao trânsito três troços da Estrada Regional no concelho do Nordeste.

Em comunicado divulgado pelas 19:00 locais (20:00 em Lisboa), o Governo Regional informa que a estrada de acesso à Ribeira Quente “já foi desobstruída e o trânsito processa-se apenas para residentes”.

De acordo com a Secretaria Regional das Obras Públicas, há “três troços na ER 1-1ª no Nordeste interrompidos ao trânsito”, designadamente o “Interior da Achadinha; troço entre Achadinha e a Achada; e troço entre Feteira Grande e Algarvia”.

O SRPCBA diz que registou, hoje, “42 ocorrências”, das quais 41 na ilha de São Miguel e uma na ilha de São Jorge.

Na ilha de São Miguel, houve 20 ocorrências no concelho do Nordeste, sete na Ribeira Grande, seis na Povoação, cinco em Vila Franca do Campo, duas na Lagoa e uma em Ponta Delgada.

“Em São Jorge, na Calheta foi registada uma ocorrência”, acrescenta a Proteção Civil.

As ocorrências “correspondem a inundações e obstruções em vias, derrocadas e inundações em habitações, não havendo danos pessoais a registar”, indicou.

“Nos locais, para apoio e resolução das diferentes situações têm estado as seguintes entidades: Bombeiros, Direção Regional das Obras Públicas e Transportes Terrestres, Instituto de Segurança Social dos Açores (ISSA), Serviços Municipais de Proteção Civil e PSP”, lê-se no comunicado.

A meio da tarde, o SRPCBA deu conta de 29 ocorrências na ilha de São Miguel, entre inundações em casas e vias públicas.

No concelho do Nordeste as escolas encontram-se encerradas, disse à Lusa o presidente da câmara, António Miguel Soares.

Segundo o SRPCBA, no concelho da Calheta, ilha de São Jorge, foi realojada uma família, por precaução, devido à dificuldade desta em aceder à sua habitação em função da deposição de lamas.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou hoje o aviso de precipitação para o nível laranja para o grupo Oriental (São Miguel e Santa Maria) dos Açores, mantendo-se os restantes grupos com aviso amarelo pelo mesmo motivo.

Segundo um comunicado do IPMA, a depressão com um sistema frontal associado que tem condicionado o estado do tempo nos últimos dias nos Açores “continuará a afetar o arquipélago, prevendo-se que possam ocorrer nas próximas horas valores acumulados de precipitação entre 20 a 40 l/m2 em uma hora em algumas zonas do grupo Oriental”.

Assim, vai sentir-se no grupo Ocidental precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada por trovoada, até às 12:00 (13:00 em Lisboa) de quarta-feira, bem como no grupo Central, enquanto no grupo Oriental o aviso laranja vigora até às 21:00 de hoje e o amarelo até às 12:00 de quarta-feira.

O aviso laranja é o segundo mais grave numa escala de quatro e implica uma situação meteorológica de risco moderado a elevado.

 

ACG (MLS/JME) // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS