Matosinhos destrói mais 35% de ninhos de vespa-asiática de janeiro a agosto do que em 2021

No concelho de Matosinhos, distrito do Porto, foram destruídos 203 ninhos de vespa-asiática entre janeiro e agosto deste ano, um aumento de 35% em relação ao período homólogo de 2021, anunciou hoje a Câmara Municipal.

Matosinhos destrói mais 35% de ninhos de vespa-asiática de janeiro a agosto do que em 2021

Matosinhos destrói mais 35% de ninhos de vespa-asiática de janeiro a agosto do que em 2021

No concelho de Matosinhos, distrito do Porto, foram destruídos 203 ninhos de vespa-asiática entre janeiro e agosto deste ano, um aumento de 35% em relação ao período homólogo de 2021, anunciou hoje a Câmara Municipal.

O aumento da destruição de mais 35% dos ninhos de vespa-asiática em relação a 2021 “deve-se em grande parte ao facto de a operação de destruição dos ninhos se ter mantido durante os períodos de maior calor, facto que não se verificava em 2021 por ser necessária a utilização de fogo”, explica a Câmara de Matosinhos num comunicado enviado à comunicação social.

Este ano os serviços da autarquia usaram uma arma de “esferas tóxicas” e de “pastilhas com toxinas” que neutralizam as vespas em cerca de três dias, altura em que se pode proceder à remoção do ninho, acrescenta o comunicado.

Os novos equipamentos, adquiridos em 2021 pela autarquia de Matosinhos, permitiram também que os trabalhos possam decorrer durante o dia, exigindo menos recursos humanos para a operação e representando riscos reduzidos quando os ninhos se encontram em zonas residenciais.

A autarquia registou, por seu turno, um número de pedidos de destruição de ninho “superior ao de anos anteriores”, verificando-se entre “10 a 15 solicitações diárias”.

O tempo de espera para a destruição dos ninhos de vespa-asiática foi reduzido “substancialmente, não tendo sido necessário ativar os serviços dos bombeiros do concelho”, refere a autarquia.

A vespa-asiática (Vespa velutina) é uma espécie que se identifica por ter as patas amarelas e o corpo escuro com um segmento laranja no abdómen.

Os avistamentos de ninhos ou das próprias vespas devem ser reportados no portal stopvespa.icnf.pt, onde é possível fazer a georreferenciação da ocorrência, ou então ligar para a linha SOS Ambiente.

Segundo disse Maria João Verdasca, investigadora na Universidade de Lisboa, numa entrevista à revista Wilder é no final do verão, princípio do outono, que os ninhos da vespa-asiática atingem a sua capacidade máxima, sendo que cada ninho pode atingir vários milhares de vespas.

CCM // MSP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS