Marc Ribot é o “cabeça de cartaz” do Portalegre JazzFest

O músico Marc Ribot é o “cabeça de cartaz” do 16.º Festival Internacional de Jazz de Portalegre (JazzFest), a realizar durante três dias e que promete apresentar uma programação “eclética”, anunciou hoje a organização.

Marc Ribot é o

Marc Ribot é o “cabeça de cartaz” do Portalegre JazzFest

O músico Marc Ribot é o “cabeça de cartaz” do 16.º Festival Internacional de Jazz de Portalegre (JazzFest), a realizar durante três dias e que promete apresentar uma programação “eclética”, anunciou hoje a organização.

O certame, promovido pelo município, decorre no Centro de Artes do Espetáculos de Portalegre (CAEP), entre os dias 02 e 04 de maio.

“O espetáculo de Marc Ribot Solo vai ser, de certeza, um concerto memorável e nós apostamos em trazer sempre um grande nome todos os anos”, disse hoje à agência Lusa o diretor artístico do CAEP, Joaquim Ribeiro.

Segundo o responsável, “a programação do festival para este ano é eclética”, apresentando “estilos diferentes”.

No primeiro dia de festival, sobe ao palco, a partir das 21:30, o “cabeça de cartaz” do certame, Marc Ribot, que tem também agendado um outro concerto em Portugal, a 30 de abril, em Espinho.

Ainda no dia 02 de maio, às 23:00, está previsto um concerto com Caterina Palazzi “Sudoku Killer”, que volta a subir ao palco no segundo dia do festival, à mesma hora.

O segundo dia do Portalegre JazzFest tem como ponto alto o concerto de Hedvig Mollestad Trio, com o seu rock progressivo instrumental, a partir das 21:30.

O terceiro e último dia do 16.º Festival Internacional de Jazz de Portalegre tem como principal atrativo, a partir das 23:00, o concerto com o contrabaixista Carlos Bica, o saxofonista alemão Daniel Erdmann e o DJ Illvibe.

Antes, pelas 21:30, sobe ao paloco o projeto Hearth, formado por um quarteto feminino, composto pela eslovena Kaja Draksler, a argentina Ada Rave, a dinamarquesa Mette Rasmussen e a portuguesa Susana Santos Silva, que irá aproveitar a sua presença em Portalegre para as gravações do seu novo disco.

No decorrer dos três dias do festival e sempre pelas 18:00, estão também previstas ‘Jam Sessions’.

“Há uma forte presença de mulheres neste festival, há muita igualdade de género. Está aqui, na edição deste ano, o festival que nós idealizámos”, disse Joaquim Ribeiro.

Segundo o diretor artístico do CAEP, o festival conta com um orçamento que “ronda os 30 mil euros”, além de patrocínios privados.

Durante os dias do Portalegre JazzFest, o CAEP vai também servir de palco para uma feira do disco e uma mostra de vinhos e produtos regionais.

As entradas diárias têm um preço de 10 euros, podendo os festivaleiros adquirir um passe para todo o festival por 20 euros.

HYT // MLM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS