Manos Sobral entram (novamente) para a história

Luísa e Salvador Sobral estiveram hoje no Parlamento. Os irmãos foram recebidos por Eduardo Ferro Rodrigues. Foi um momento histórico.

Manos Sobral entram (novamente) para a história

Luísa e Salvador Sobral estiveram hoje no Parlamento. Os irmãos foram recebidos por Eduardo Ferro Rodrigues. Foi um momento histórico.

Luísa e Salvador Sobral estiveram hoje no Parlamento. Os irmãos foram recebidos por Eduardo Ferro Rodrigues. Apesar de o cantor desconhecer o motivo da visita, foram recebidos por um motivo nobre. Um voto de saudação devido ao feito inédito na música portuguesa, que diz respeito à inédita conquista do Festival Eurovisão da Canção. Um “facto singular na história contemporânea da música portuguesa”, foi salientado no texto do voto de saudação. Que foi aprovado por unanimidade no Parlamento. Neste dia os manos Sobral entram (novamente) para a história.

Luísa e Salvador Sobral almoçaram com Ferro Rodrigues

Mas conquistar o evento não foi o único momento que entrou para a história. Os irmãos foram os primeiros músicos a receber um voto de saudação. “Nem sabia que tinha sido a primeira vez”, disse Salvador Sobral. Que revelou ainda o tema de conversa com Ferro Rodrigues durante o almoço. “Falámos um pouco sobre tudo, sobre a cultura. Pode ser que esta vitória possa ter uma fatia maior do orçamento para a cultura que tem sido bastante esquecida”, explicou. Salvador Sobral disse ainda que o protagonismo da sua vitória poderá alterar a música portuguesa. “Pode significar uma mudança. As rádios tocam o que a América toca e três cantautores portugueses. E as televisões fazem o mesmo. As pessoas não podem escolher o que ouvem porque é um estímulo da rádio”, refere.

Luísa Sobral falou do orgulho que sente pelas palavras de elogio de tantos músicos. “Para mim o mais especial têm sido as mensagens dos nossos colegas músicos. É um orgulho enorme sentir que os estamos a representar. Se calhar vai dar vontade, às pessoas que ouviram a canção, de ouvir o resto da música que se faz em Portugal. E há música espetacular feita em Portugal. É uma honra enorme. Também é uma honra enorme estar aqui hoje. Também não sabia que éramos os primeiros. É também uma honra por Portugal ser representado lá fora pela cultura”, disse.

“Para mim o mais especial têm sido as mensagens dos nossos colegas músicos”, diz Luísa Sobral.

Ainda houve tempo para falar sobre as versões da música ‘Amar pelos dois’. “A melhor é a do meu irmão. Acho que isso também é bonito. Quando uma pessoa compõe uma canção sabe que, a partir do momento em que chega lá fora, deixa de ser nossa. As pessoas apropriam-se da canção e tornam-na numa canção delas. Isso é normal. É a vida de uma canção. Acho bonito. Já não é minha”, refere. Neste dia especial, Salvador Sobral partilhou ainda uma história curiosa que envolve Caetano Veloso.

Texto: Bruno Seruca; Fotos: Tito Calado

Impala Instagram

Mais

RELACIONADOS