Manada de 50 elefantes invade comunidade e destrói culturas em Moçambique

Cerca de 50 elefantes, que se terão evadido de uma área de conservação do Zimbabué, invadiram áreas residenciais no distrito de Machaze, na província de Manica, centro de Moçambique, anunciou fonte oficial.

Manada de 50 elefantes invade comunidade e destrói culturas em Moçambique

Manada de 50 elefantes invade comunidade e destrói culturas em Moçambique

Cerca de 50 elefantes, que se terão evadido de uma área de conservação do Zimbabué, invadiram áreas residenciais no distrito de Machaze, na província de Manica, centro de Moçambique, anunciou fonte oficial.

“Logo pela manhã a população informou-nos que havia uma manada [de elefantes] que está a movimentar-se em Machaze”, disse Francisca Tomás, governadora de Manica, citada hoje pela Televisão de Moçambique.

Segundo a governadora, foram enviados técnicos para afugentar os animais acreditando tratar-se “só de alguns elefantes, como tem sido habitual” na região, mas “era, na verdade, uma manada de 50”, referiu, acrescentado que o grupo não fez vítimas.

Os elefantes e outros animais invadem as comunidades daquele distrito com alguma frequência, destruindo áreas de cultivo.

De acordo com as autoridades, Machaze está na lista dos distritos que mais registam casos de conflito entre homem e fauna em Manica.

De acordo com os dados oficiais mais recentes, de 2020, um total de 97 moçambicanos morreram e 66 ficaram feridos só em ataques registados (outros não chegam a ser reportados) de animais selvagens, a maioria por crocodilos, segundo a Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC).

No mesmo ano foram devorados 258 animais domésticos, entre gado bovino, ovino e caprino, por leões, hienas e crocodilos, além de 248,81 hectares de diversas culturas destruídas.

LYN // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS