Mais de duas dezenas de estradas cortadas no País

Mais de duas dezenas de estradas continuam cortadas em várias zonas do país, devido ao mau tempo, informou a Infraestruturas de Portugal, numa atualização dos condicionamentos à circulação na rede rodoviária e ferroviária.

Mais de duas dezenas de estradas cortadas no País

Mais de duas dezenas de estradas cortadas no País

Mais de duas dezenas de estradas continuam cortadas em várias zonas do país, devido ao mau tempo, informou a Infraestruturas de Portugal, numa atualização dos condicionamentos à circulação na rede rodoviária e ferroviária.

No último balanço divulgado pela IP, às 12:00, é referido que, relativamente à rede rodoviária, na zona de Lisboa continuam cortadas a estrada nacional 8 (EN8) entre Odivelas e Loures, a EN9 entre Ponte Rol e Torres Vedras, a EN248 em Arruda dos Vinhos (com corte da circulação entre os quilómetros 15 e 17), a EN250 entre o Catujal e Sacavém, a EN115 na Rotunda das Oliveiras e das Lebres e a EN115-2 entre Mechiel e Ermejeira.

Para ler depois
Lisboa ativa plano de contingência para sem-abrigo que solicitem acolhimento
A Câmara Municipal de Lisboa ativou um plano de contingência para pessoas em situação de sem-abrigo que solicitem acolhimento de emergência devido ao mau tempo, anunciou hoje a autarquia (… continue a ler aqui)

No distrito de Portalegre mantém-se as restrições no Itinerário Principal 2 (IP2) em Monforte, com corte da circulação em ambos os sentidos ao quilómetro 203,1, enquanto a EN3, na Barragem de Montargil, está com a circulação interdita entre os quilómetros 458 e 463. Na EN243, em Fronteira, há corte de estrada aos quilómetros 154,198 e a circulação está interdita na Ponte de Fronteira.

Na EN244, em Avis, há corte em ambos os sentidos ao quilómetro 104 e na EN246, em Arronches, há corte em ambos os sentidos entre os quilómetros 53 e 59,5. Ainda no distrito de Portalegre, a EN373 está fechada no sentido Campo Maior–Elvas e, em Elvas, a EN246 está com corte da circulação em ambos os sentidos ao quilómetro 18.

No distrito de Évora registam-se cortes na EN2, em Mora (entre os quilómetros 469 e 471 e entre os quilómetros 473 e 475), e na EN251, entre o Couço e Mora. No distrito de Santarém estão afetadas a EN114, em Coruche, com corte da circulação na Estrada de Meias e na ligação da EN114 com a EN251 em Azervadinha.

A EN119 está fechada entre os quilómetros 43 e 55, enquanto a EN118 está cortada em ambos os sentidos entre Tramagal e Santa Margarida e a EN365 está cortada entre Vale Figueira e Pombalinho. Quanto à circulação ferroviária na região de Lisboa, foi restabelecida a circulação na Linha do Norte, em todas as vias entre Sacavém-Bobadela Sul e Alverca, com limitação de velocidade na zona de Póvoa da Santa Iria.

Na Linha de Sintra foi restabelecida a circulação entre Benfica e Campolide, com limitação de velocidade de 30 km/h entre os quilómetros 3,3 e 3,5. Na Linha de Cascais, a estação de Algés mantém-se sem serviço comercial e na Linha do Sul há limitação de velocidade entre Pragal e Corroios, tal como Linha do Leste, entre Portalegre e Elvas, com a circulação limitada a 30 km/h entre os quilómetros 250,2 e 250,9.

A Infraestruturas de Portugal mantém equipas a trabalhar no terreno, em articulação com a proteção civil, “visando uma mais rápida reposição das condições de circulação e segurança”, é referido numa nota divulgada na sua página na Internet. A chuva intensa e persistente que caiu na terça-feira causou mais de 3.000 ocorrências, entre alagamentos, inundações, quedas de árvores e cortes de estradas, afetando sobretudo os distritos de Lisboa, Setúbal, Portalegre e Santarém.

No total, há registo de 83 desalojados, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), e o mau tempo levou também ao corte e condicionamento de estradas e linhas ferroviárias, que têm vindo a ser restabelecidas. Na zona de Lisboa a intempérie causou condicionamentos de trânsito nos acessos à cidade, situação que está regularizada na maior parte dos casos. Em Campo Maior, no distrito de Portalegre, a zona baixa da vila ficou alagada e várias casas foram inundadas, algumas com água até ao teto, segundo a Câmara Municipal.

Segundo a ANEPC, estão “cinco planos municipais de emergência ativos”, quatro no distrito de Portalegre e um em Santarém, mantendo-se em estado de alerta amarelo os planos especiais de emergência para as bacias dos rios Tejo e Douro devido ao risco de cheias.

Impala Instagram


RELACIONADOS