Mais de 9.600 operacionais empenhados hoje em trabalhos de limpeza

A chuva intensa e persistente que caiu na madrugada de terça-feira causou centenas de ocorrências, entre alagamentos, inundações, quedas de árvores e cortes de estradas nos distritos de Lisboa, Setúbal e Portalegre, onde há registo de vários desalojados.

Mais de 9.600 operacionais empenhados hoje em trabalhos de limpeza

Mais de 9.600 operacionais empenhados hoje em trabalhos de limpeza

A chuva intensa e persistente que caiu na madrugada de terça-feira causou centenas de ocorrências, entre alagamentos, inundações, quedas de árvores e cortes de estradas nos distritos de Lisboa, Setúbal e Portalegre, onde há registo de vários desalojados.

Lisboa, 14 dez 2022 (Lusa) — Mais de 9.600 operacionais estão hoje de manhã empenhados em trabalhos de limpeza e recuperação das áreas afetadas devido ao mau tempo, após uma noite “sem ocorrências significativas”, disse à Lusa fonte da proteção civil.

Num balanço feito à Lusa cerca das 08:30 de hoje, o comandante Elísio Pereira, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), adiantou que durante a noite “houve uma acalmia, e não foram registadas ocorrências com grande expressão”.

“Não houve ocorrências significativas durante a noite, continuam é os trabalhos de limpeza e de recuperação das zonas afetadas pelo mau tempo de terça-feira um pouco por todo o país, mas com grande incidência em Algés, Lisboa, Loures e Campo Maior, em Portalegre”, disse.

De acordo com o comandante Elísio Pereira, nos trabalhos de limpeza e recuperação de vias, habitações, espaços comerciais, etc, estão 9.628 operacionais.

“Entre as 00:00 de terça-feira e as 07:00 de hoje foram registadas 3.563 ocorrências relacionadas com o mau tempo, 1.850 das quais no distrito de Lisboa, 461 em Setúbal, 186 em Portalegre e 161 em Santarém. Nos restantes distritos foram registadas ocorrências abaixo das 100”, contou.

Na zona de Lisboa a intempérie causou condicionamentos de trânsito nos acessos à cidade, que levaram as autoridades a apelar às pessoas para permanecerem em casa quando possível e para restringirem ao máximo as deslocações.

No distrito de Santarém, a chuva fez aumentar os caudais do rio Tejo, levando a Comissão Distrital de Proteção Civil a acionar o Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo, dado o risco “muito significativo” de galgamento das margens do rio. Nesta bacia hidrográfica e na do Douro foi ativado o alerta amarelo.

Em Campo Maior, no distrito de Portalegre, a zona baixa da vila ficou alagada e várias casas foram inundadas, algumas com água até ao teto, segundo a Câmara Municipal, que prevê acionar o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou hoje todos os distritos de Portugal continental sob aviso amarelo devido à previsão de chuva por vezes forte e acompanhada de trovoada entre as 09:00 e as 18:00 de hoje.

DD // SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS