Mais 12 pessoas formadas em Biologia da Conservação no Parque Nacional da Gorongosa

O Parque Nacional da Gorongosa anunciou hoje a conclusão da formação do segundo grupo de estudantes do mestrado em Biologia da Conservação, o único curso totalmente ministrado num parque em Moçambique.

Mais 12 pessoas formadas em Biologia da Conservação no Parque Nacional da Gorongosa

Mais 12 pessoas formadas em Biologia da Conservação no Parque Nacional da Gorongosa

O Parque Nacional da Gorongosa anunciou hoje a conclusão da formação do segundo grupo de estudantes do mestrado em Biologia da Conservação, o único curso totalmente ministrado num parque em Moçambique.

Trata-se de um grupo composto por 12 estudantes, metade dos quais mulheres, que foram formados no Parque Nacional da Gorongosa nos últimos dois anos, indica a instituição numa nota de imprensa.

“Este programa de Mestrado é realizado inteiramente dentro do Parque Nacional da Gorongosa e oferece formação em biologia da conservação, ecologia e gestão ambiental. Os estudantes têm a oportunidade de aplicar os conhecimentos adquiridos nos seus cursos para projetos de investigação prática no campo para as suas dissertações finais”, refere a nota.

Com o novo grupo de formados, sobe para 24 o número de pessoas que já frequentaram o curso, que é ministrado em parceria com as universidades Zambeze, Lúrio e o Instituto Superior Politécnico de Manica.

“Estes graduados agora aplicarão os seus conhecimentos e habilidades recém-adquiridas em diferentes áreas. A maioria já tem empregos ou estágios em conservação”, acrescenta a nota.

O Parque Nacional da Gorongosa é hoje uma das principais áreas de conservação de Moçambique, com uma grande variedade de vida selvagem.

Localiza-se na província de Sofala, na extremidade sul do Vale do Rift do leste africano, com uma área de cerca de 4.000 quilómetros quadrados

O parque da Gorongosa acolhe alguns dos ecossistemas biologicamente mais ricos e geologicamente diversos do continente, estando atualmente a ser revalorizado com várias iniciativas após ter sido fortemente afetado pela guerra civil de 16 anos em Moçambique, um conflito que terminou 1992.

EYAC // PAL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS