Maioria das vagas do ensino superior que sobraram situa-se em politécnicos e interior

A maioria das vagas que ficaram por ocupar na 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior situa-se em institutos politécnicos e a quase totalidade em universidades e politécnicos fora de Lisboa e Porto.

Maioria das vagas do ensino superior que sobraram situa-se em politécnicos e interior

Maioria das vagas do ensino superior que sobraram situa-se em politécnicos e interior

A maioria das vagas que ficaram por ocupar na 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior situa-se em institutos politécnicos e a quase totalidade em universidades e politécnicos fora de Lisboa e Porto.

De acordo com dados hoje divulgados pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), 3.776 das 4.255 vagas que sobraram são em institutos politécnicos, o que representa cerca de 88,7% dos lugares ainda disponíveis. Já nas universidades, sobraram apenas 479 vagas e a maioria em instituições do interior ou das ilhas. A mesma tendência verifica-se também no ensino politécnico e só o Instituto Politécnico de Bragança ficou com 868 vagas por preencher, o maior número nesta 2.ª fase. São residuais as vagas ainda disponíveis em Lisboa e Porto: em Lisboa, há 22 vagas (12 no Instituto Politécnico e 10 na Faculdade de Motricidade Humana) e no Porto 33 vagas (27 na Faculdade de Ciências e 6 no Instituto Politécnico).

LEIA AINDA

Covid-19: Lei propõe multas até 500 euros para falhas no uso de máscara e Stayaway Covid

Nesta 2.ª fase houve ainda 54 cursos que não tiveram qualquer candidato, 43 dos quais em institutos politécnicos. Há ainda um total de 240 cursos com vagas por preencher, contra 825 já completamente cheios. Por áreas, é nas escolas e faculdades de ciências e tecnologia que sobram mais vagas, seguidas das escolas agrárias e de agronomia em que, num total de 55 cursos, 39 ficaram com lugares por preencher e 11 não tiveram qualquer candidato. Na 2.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior foram colocados 9.787 estudantes e ainda sobraram um total de 4.255 vagas.

Segundo a DGES “para a 2.ª fase, o número de vagas colocadas a concurso foi de 11.698, às quais acresceram 2.175 vagas libertadas por candidatos colocados e matriculados na 1.ª fase que foram agora colocados na 2.ª fase”. Às vagas disponíveis, candidataram-se 22.750 mil alunos, mais do que os 18.065 de 2019, contrariando a tendência decrescente registada no ano passado, à semelhança do que aconteceu na 1.ª fase. Os resultados da 2.ª fase do concurso nacional de acesso estão desde hoje disponíveis no portal da DGES e os estudantes têm até domingo para se matricularem nas instituições onde foram colocados.

As 4.255 vagas que sobraram podem agora ser disponibilizadas para a 3.ª fase do concurso nacional de acesso, que decorre entre 22 e 26 de outubro, ou reverter para os concursos especiais e para os concursos de mudança de instituição/curso.

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS