Livro de Amália e obra de Cavaco Silva nas novidades do Grupo Porto Editora

O livro “Amália nas suas Próprias Palavras”, a sair este mês, com base em entrevistas feitas pelo escritor Manuel da Fonseca, e um de Cavaco Silva são algumas das novidades editorais apresentadas hoje pelo Grupo Porto Editora (GPE).

Livro de Amália e obra de Cavaco Silva nas novidades do Grupo Porto Editora

Livro de Amália e obra de Cavaco Silva nas novidades do Grupo Porto Editora

O livro “Amália nas suas Próprias Palavras”, a sair este mês, com base em entrevistas feitas pelo escritor Manuel da Fonseca, e um de Cavaco Silva são algumas das novidades editorais apresentadas hoje pelo Grupo Porto Editora (GPE).

O GPE e as suas chancelas Assírio & Alvim, Livros do Brasil, Ideias de Ler e Albatroz concentram a publicação dos seus novos títulos entre este mês e novembro, de acordo com o plano editorial hoje apresentado, na Feira do Livro de Lisboa.

O editor Manuel Alberto Valente, que anunciou em agosto a sua saída de funções como diretor da Divisão Editorial Literária de Lisboa do GPE, do qual é atualmente consultor editorial, abriu a sessão com um apelo à comunicação social, por causa do “momento difícil que o mercado editorial atravessa”: “Mais do que nunca há que proteger os livros e a leitura”, referiu.

O editor, entre as próximas novidades, realçou “Amália nas suas Próprias Palavras”, com prefácio de Rui Vieira Nery, que resgata um projeto da extinta Editora Arcádia: a encomenda, ao escritor Manuel da Fonseca (1911-1993), o autor de “Seara de Vento”, de uma biografia de Amália Rodrigues (1920-1999).

O escritor gravou as conversas com Amália, num total de nove horas, em três sessões, entre Lisboa e o Alentejo.

O projeto da biografia não foi avante, e as bobinas ficaram esquecidas na residência do editor Nelson de Matos, que as descobriu há dois anos. Detentor das Publicações Dom Quixote, entre 1981 e 2004, Nelson de Matos teve um percurso pelo setor livreiro português, desde a década de 1960, tendo sido responsável da Arcádia, nos anos de 1974 a 1976.

A transcrição e notas de “Amália nas suas Próprias Palavras” são do jornalista José Pedro Castanheira. A obra contou com o apoio financeiro do Museu do Fado e da Fundação Gulbenkian para a investigação, e será uma edição do GPE em parceria com as Edições Nelson de Matos.

Na sessão de hoje, Manuel Alberto Valente sublinhou que “Amália não foi só uma grande intérprete de fado, mas um das maiores intérpretes mundiais do século XX”.

Outro destaque foi o livro “Pensar o Futuro. Portugal e o Mundo após a Covid-19”, coordenado por Nicolau Santos, que conta com “opiniões e testemunhos das mais variadas personalidades portuguesas”, disse o editor.

As vendas desta obra revertem para a associação Casa, de apoio aos sem-abrigo.

Em novembro, a Porto Editora vai editar “Uma Experiência de Social-Democracia Moderna”, de autoria do ex-Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

A Assírio & Alvim, já no início deste mês, publica “Poesia”, com toda a obra publicada por Luís Miguel Nava (1957-1995), a que junta “vários inéditos e dispersos”, numa edição de Ricardo Vasconcelos, da Universidade Santa Bárbara, na Califórnia, e que é o autor de “Campo de Relâmpagos – Leitura do Excesso na Poesia de Miguel Nava”, publicado também pela Assírio & Alvim, em 2009.

Em outubro é publicado o 2.º volume da Obra Poética, de António Ramos Rosa (1924-2013), que reúne a sua produção poética entre 1988 e 1996.

A Assírio & Alvim conta ainda editar em novembro, a Obra Completa de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), uma edição de Carlos Mendes de Sousa, que incluirá os livros de contros, os títulos para crianças, a peça de teatro “o Colar de Pérolas” e o ensaio “O Nu na Antiguidade Clássica”.

Outros destaques são a publicação, este mês, dos 2.º e 3.º volumes da história “No Bicentenário da Revolução Liberal”, de Vital Moreira e José Domingues, pela Porto Editora, e de “Triunfo e Tragédia de Erasmo de Roterdão”, obra de Stefen Zweig, a sair em outubro pela Assírio & Alvim, sobre o autor de “Elogio da Loucura” (1511).

Este mês sai pela Porto Editora “Um Castelo em Ipanema”, da autora brasileira Martha Batalha.

Em outubro, é publicado “Festa de Família”, da italiana Sveva Casati, e, em novembro, ainda sem título em português, será editado “The Giver of Stars”, da britânica Jojo Moyes, autora de 15 romances, alguns presentes no catálogo desta editora.

“Guerra Colonial”, de Aniceto Afonso e Carlos Matos Gomes, sai em outubro, e discute os motivos que, em 1961, levaram o Governo da ditadura de Oliveira Salazar, a optar pela guerra em Angola.

Na área da não ficção foram destacados dois títulos relacionados com animais: “A Viagem de Nala”, que relata o encontro do escocês Dean Nicholson, nas montanhas da Bósnia-Herzegovina, com uma gata abandonada, no percurso da sua volta ao mundo em bicicleta; e “Por Ladre Noutra Coisa”, de Guilherme Duarte, com prefácio de Nuno Markl, sobre o resgate da cadela pit bull Zaya de um canil.

Zaya tinha sido maltratada, participou em lutas de cães e foi abandonada.

Parte das vendas desta obra reverterá para a associação SOS Animal.

Entre as novidades da chancela Livros do Brasil, está previsto sair este mês, ” O Longo Vale”, do norte-americano John Steinbeck (1902-1968).

NL // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS