Linha de apoio à tradução e edição abrange 127 obras de língua portuguesa

Mais de uma centena de obras de autores de língua portuguesa foram abrangidas este ano pela Linha de Apoio à Tradução e Edição (LATE), com 240 mil euros, uma iniciativa que envolveu 34 países e 90 editoras.

Linha de apoio à tradução e edição abrange 127 obras de língua portuguesa

Linha de apoio à tradução e edição abrange 127 obras de língua portuguesa

Mais de uma centena de obras de autores de língua portuguesa foram abrangidas este ano pela Linha de Apoio à Tradução e Edição (LATE), com 240 mil euros, uma iniciativa que envolveu 34 países e 90 editoras.

O anúncio foi feito, através da sua página oficial, pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), que, juntamente com o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, promove esta iniciativa, que visa a internacionalização de obras escritas em português por autores portugueses, africanos e de Timor-Leste.

Ao todo, são 127 livros a publicar em 34 países, traduzidos para 32 línguas, uma das quais o espanhol, que, com 25 traduções, é a língua mais representada nesta edição da LATE.

Surgem depois, por ordem de frequência, as traduções para alemão, inglês e italiano.

Afonso Cruz, Fernando Pessoa, José Eduardo Agualusa e José Luís Peixoto estão entre os escritores que mais interesse suscitaram nos editores estrangeiros, a par de clássicos como Camões, Almeida Garrett, Antero de Quental, Cesário Verde ou Eça de Queirós.

Entre os escritores contemporâneos a serem traduzidos contam-se Ana Cristina Silva, Bruno Vieira Amaral, Djaimilia Pereira de Almeida, Dulce Maria Cardoso, Frederico Pedreira ou Isabel Rio Novo.

O trabalho de análise de todas as propostas recebidas é da responsabilidade de uma comissão na qual estão representadas a Associação Portuguesa de Escritores, a Associação Internacional de Lusitanistas, o Camões e a DGLAB.

Esta comissão define ainda uma lista de obras referenciais com uma validade bienal, como é o caso, no presente ano, de livros de Afonso Cruz, David Machado, Camilo Pessanha e Nuno Júdice.

Além do apoio à tradução e edição, os livros que integram esta lista serão adquiridos para a constituição de um Fundo Bibliográfico a ser distribuído pelas redes de ensino do Camões.

A LATE foi lançada em 2020, tendo, nesse ano, abrangido 152 projetos editoriais de editoras de 44 países, números que baixaram na edição do ano passado, para 140 livros a serem traduzidos para editoras de 42 países.

Na sua terceira edição, a decorrer este ano, o número de livros, países, editoras e línguas envolvidas neste projeto voltou a baixar.

AL // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS