Liga dos Bombeiros quer rever acordo com INEM até ao final do ano

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) exigiu hoje a conclusão, até ao final do ano, da revisão do acordo com o INEM e das novas tabelas de pagamento do socorro pré-hospitalar assegurado pelas corporações dos bombeiros voluntários.

Liga dos Bombeiros quer rever acordo com INEM até ao final do ano

Liga dos Bombeiros quer rever acordo com INEM até ao final do ano

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) exigiu hoje a conclusão, até ao final do ano, da revisão do acordo com o INEM e das novas tabelas de pagamento do socorro pré-hospitalar assegurado pelas corporações dos bombeiros voluntários.

Durante uma reunião com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que decorreu hoje na sede da ANEPC, em Carnaxide (Oeiras), a LBP defendeu que no final do ano têm de estar concluídas a revisão das bases gerais do acordo existente e as tabelas de pagamentos dos serviços prestados pelas associações e corpos de bombeiros no âmbito do pré-hospitalar, precisa a Liga, em comunicado.

Segundo o presidente da LBP, Jaime Marta Soares, as tabelas de pagamentos não são revistas desde 2012 e devem “refletir a realidade” e rever o subsídio para consumíveis, bem como integrar os custos com oxigénio e consumíveis dos DAE (Desfibrilhação Automática Externa).

A LBP quer também que sejam atualizados os subsídios para o seguro das viaturas e para a sua manutenção.

De acordo com a LBP, na primeira semana de novembro estão marcadas as reuniões dos dois grupos de trabalho criados e que integram a LBP, INEM e ANEPC, sendo um para rever as bases gerais do acordo existente e outro específico para as tabelas de pagamentos, incluindo a revisão dos valores dos subsídios trimestrais, do pagamento dos serviços em função dos escalões, dos subsídios para consumíveis, seguros e manutenção.

Na reunião de hoje, o presidente da LBP lembrou a necessidade de dar cumprimento à renovação das viaturas atribuídas às corporações de bombeiros e das dificuldades sentidas em período de pandemia perante novos riscos e custos, uma vez que tem de assegurar o socorro pré-hospitalar e dar apoio ao transporte a doentes suspeitos ou infetados com covid-19.

CMP // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS