Levantamento dos prejuízos do incêndio na Serra da Estrela pronto na segunda-feira

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, disse hoje, na Guarda, que os levantamentos dos prejuízos do incêndio na serra da Estrela foram antecipados em relação ao prazo inicial e ficarão prontos na segunda-feira.

Levantamento dos prejuízos do incêndio na Serra da Estrela pronto na segunda-feira

Levantamento dos prejuízos do incêndio na Serra da Estrela pronto na segunda-feira

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, disse hoje, na Guarda, que os levantamentos dos prejuízos do incêndio na serra da Estrela foram antecipados em relação ao prazo inicial e ficarão prontos na segunda-feira.

No final de uma reunião com autarcas da região, realizada no edifício dos Paços do Concelho da Guarda, a ministra disse aos jornalistas que no encontro foi comunicado que os levantamentos dos prejuízos setoriais ficarão prontos na segunda-feira e que depois serão “entregues à CCDR [Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro], que fará um relatório final global”.

“Antecipámos, face ao que era previsto na Resolução do Conselho de Ministros, o prazo para o levantamento dos prejuízos, porque nós começámos a trabalhar logo no território com os autarcas, estou a falar nos vários setores, nesse levantamento”, declarou.

Ana Abrunhosa disse que o relatório será conhecido logo que o Governo o possua e depois da aprovação da Resolução do Conselho de Ministros, “que vai, no fundo, validar esses danos e as medidas” para fazer “face aos danos” do incêndio.

A governante falava aos jornalistas no final de uma reunião com os presidentes dos municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) para uma análise conjunta da situação resultante dos recentes incêndios.

No encontro também participaram a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, a secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, o secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel, e a secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar.

A serra da Estrela foi afetada por um incêndio que deflagrou no dia 06 de agosto em Garrocho, no concelho da Covilhã (distrito de Castelo Branco) e que foi dado como dominado no dia 13.

O fogo sofreu uma reativação no dia 15 e foi considerado novamente dominado no dia 17 do mesmo mês, à noite.

As chamas estenderam-se ao distrito da Guarda, nos municípios de Manteigas, Gouveia, Guarda e Celorico da Beira, e atingiram ainda o concelho de Belmonte, no distrito de Castelo Branco.

No dia 25, o Governo aprovou a declaração de situação de calamidade para o PNSE, afetado desde julho por fogos, conforme pedido pelos autarcas dos territórios atingidos.

A situação de calamidade foi já publicada em Diário da República e vai vigorar pelo período de um ano, para “efeitos de reposição da normalidade na respetiva área geográfica”.

ASR (IYN/RCS) // SSS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS