Jovem manifestante alvejado no peito pela polícia em Hong Kong

Um jovem manifestante foi hoje atingido no peito por uma bala disparada pela polícia de Hong Kong, segundo a imprensa local, numa tarde marcada pelo caos e violência na cidade, no Dia Nacional da China.

Jovem manifestante alvejado no peito pela polícia em Hong Kong

Jovem manifestante alvejado no peito pela polícia em Hong Kong

Um jovem manifestante foi hoje atingido no peito por uma bala disparada pela polícia de Hong Kong, segundo a imprensa local, numa tarde marcada pelo caos e violência na cidade, no Dia Nacional da China.

Um jovem manifestante foi hoje atingido no peito por uma bala disparada pela polícia de Hong Kong, segundo a imprensa local, numa tarde marcada pelo caos e violência na cidade, no Dia Nacional da China.

LEIA DEPOIS

Previsão do tempo para esta quarta-feira, 2 de outubro

O incidente ocorreu em Tsuen Wan e o estudante foi transportado para o hospital para ser ser alvo de cirurgia, num dia em que se registaram dezenas de feridos e mais de meia centena de detenções, numa cidade onde é possível observar pequenos incêndios e um cenário de destruição do espaço publico e em alguns edifícios associados ao regime chinês.

Em Yau Ma Tei, uma das zonas críticas onde se verificaram confrontos, agentes da polícia foram mais uma vez obrigados a disparar balas para o ar, depois de terem sido cercados e atacados por manifestantes.

A própria força de segurança anunciou às 17h10 (10h10 em Lisboa) que tinha iniciado operações para dispersar os manifestantes, que participavam em protestos ilegais, e de detenções em múltiplos distritos em Hong Kong.

O maior protesto decorreu na ilha de Hong Kong e juntou pelo menos dezenas de milhares de manifestantes, no dia em que se assinalam os 70 anos da fundação da República Popular da China.

Mas os episódios de violência ocorreram a norte do território, onde, com o fecho de 28 estações de metropolitanos, suspensão de autocarros e com bloqueios de estradas efetuados pelas autoridades, muitos ficaram impedidos de participar na maior manifestação, que já tinha sido proibida pela polícia.

A zona central da ilha de Hong Kong foi alvo de uma carga policial em Admiralty e em Central, durante a qual foram efetuadas novas detenções.

LEIA MAIS

Cristiano Ronaldo assume: «Comecei a gostar do processo de me ver fora do futebol»

Mais de 500 acidentes aconteceram por distração. 38 deles por causa do telemóvel

 

Impala Instagram


RELACIONADOS