Jornadas do Património decorrem entre hoje e domingo com mais de 800 atividades

As Jornadas Europeias do Património realizam-se entre hoje e domingo sob o tema “Património e Educação”, com mais de 800 propostas de atividades em Portugal, todas com preocupação de segurança sanitária, e muitas a decorrerem ‘online’.

Jornadas do Património decorrem entre hoje e domingo com mais de 800 atividades

Jornadas do Património decorrem entre hoje e domingo com mais de 800 atividades

As Jornadas Europeias do Património realizam-se entre hoje e domingo sob o tema “Património e Educação”, com mais de 800 propostas de atividades em Portugal, todas com preocupação de segurança sanitária, e muitas a decorrerem ‘online’.

O público poderá realizar visitas orientadas no espaço físico ou virtual em mais de três centenas de entidades, envolvendo 127 concelhos em Portugal continental e ilhas, atravessando todo o território, do distrito de Viana do Castelo ao de Faro, do Funchal, na Madeira, a Ponta Delgada, nos Açores.

As 800 iniciativas previstas resultam de uma resposta de entidades públicas e privadas ao apelo lançado pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), entidade coordenadora das JEP a nível nacional, e que terão, na sua maioria, entrada gratuita nos três dias.

Todas as atividades presenciais, segundo a DGPC, cumprem as medidas de segurança e as normas definidas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), desde 300 visitas, guiadas e livres, 45 espetáculos, 45 exposições, 67 oficinas e 34 conferências.

Devido à pandemia de covid-19, em 2020 as JEP distinguem-se por uma oferta “sem precedentes de eventos ‘online'”, que inclui 82 visitas e exposições virtuais, 56 apresentações e 57 filmes, segundo a mesma fonte.

No caso dos museus, palácios e monumentos sob tutela da DGPC, a gratuitidade aplica-se da seguinte forma: hoje e no sábado, aos visitantes que participem nas atividades programadas no âmbito das JEP, e no domingo, a todos os visitantes.

Iniciativa conjunta do Conselho da Europa e da Comissão Europeia, as JEP são consideradas o evento cultural mais amplamente celebrado e partilhado pelos cidadãos da Europa, com mais de 70 mil eventos organizados todos os anos visando sensibilizar a sociedade para a importância do envolvimento de todos na proteção e valorização do Património Cultural.

Museus e palácios nacionais, autarquias, estabelecimentos de ensino e diferentes entidades privadas vão abrir portas nestes dias da iniciativa, congregando mais de 50 países e dezenas de milhares de atividades, para valorizar o património comum da Europa e promover a sua proteção.

O tema deste ano das JEP – “Património e Educação” – visa destacar “a riqueza e complexidade” da relação entre ambos, através de múltiplas expressões, da literatura e das artes, aos monumentos, aos museus, aos sítios arqueológicos e às paisagens, como indica a DGPC.

Entre as entidades envolvidas estão o Museu Monográfico de Conímbriga, que propõe a “Festa do Mosaico”, e o Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada, que oferece a mostra “Para que o céu não nos caia em cima da cabeça”, sobre “conteúdos identitários, culturais e patrimoniais, presentes nas [suas] coleções”.

“A Criança em Roma: Educação e Lazer”, do Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa, é outra proposta ‘online’, que parte da “variedade e riqueza dos testemunhos arqueológicos e iconográficos” existentes, para “uma aproximação” à história da vida quotidiana da época.

O Museu José Malhoa, nas Caldas da Rainha, a Mina do Lousal, em Grândola, a Porta do Relógio, no Redondo, e o edifício da Faculdade de Engenharia da Universidade da Beira Interior, antiga fábrica de lanifícios da Covilhã, são outras propostas de visita ‘online’, assim como a Rota do Românico, a partir de Marco de Canavezes, o Museu de Lamas, em Santa Maria de Lamas, Aveiro, o Portugal dos Pequenitos, em Coimbra, e a Rota Turística do Abade João, de Penacova à Figueira da Foz.

As atividades presenciais dominam, porém, a lista disponível, com mais de 400 inscritas. São gratuitas, mas exigem inscrição. Vão da visita guiada ao Núcleo Megalítico do Mezio, em Arcos de Valdevez, às abordagens multidisciplinares dos PADA Studios, no antigo parque industrial do Barreiro, aos percursos da cidade velha de Faro.

Entre as propostas já inscritas, encontra-se a abertura ao público da Casa-Museu Fernando de Castro, no Porto, administrada pelo Museu Nacional de Soares dos Reis, que promoverá visitas orientadas ao local da Rua de Costa Cabral.

Em Viana do Castelo, o centenário de nascimento do escritor Ruben A. (1920-1975) é assinalado com uma visita à sua casa no Carreço. A iniciativa parte do Centro de Estudos Regionais, e realiza-se no dia 26, quando passam 45 anos sobre a morte do autor de “A Torre da Barbela” e “O Mundo à Minha Procura”.

As iniciativas das JEP, em atualização permanente, podem ser consultadas na página http://w3.patrimoniocultural.pt/jep2020/digital/index.php.

AG (MAG) // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS