Joe Berardo: «Claro que não tenho dívidas»

O empresário Joe Berardo disse hoje no parlamento que é «claro» que não tem dívidas, e confirmou que a garantia que os bancos têm é da Associação Coleção Berardo, e não das obras de arte.

Joe Berardo: «Claro que não tenho dívidas»

Joe Berardo: «Claro que não tenho dívidas»

O empresário Joe Berardo disse hoje no parlamento que é «claro» que não tem dívidas, e confirmou que a garantia que os bancos têm é da Associação Coleção Berardo, e não das obras de arte.

«Pessoalmente não tenho dívidas. Claro que não tenho dívidas», disse Joe Berardo durante a sua audição na comissão parlamentar de inquérito à recapitalização e gestão da CGD, que decorre na Assembleia da República, em Lisboa.

DEPOIS LEIA

Previsão do tempo para sábado, 11 de maio

O empresário fez as afirmações em resposta à deputada do BE Mariana Mortágua, que tinha perguntado por que é que Berardo «não paga o empréstimo à banca ou dá a garantia que aparentemente foi dada aos bancos quando fez um acordo de renegociação em 2008 e reiterou em 2011», se dá mostras públicas de riqueza e de ser «multimilionário».

A deputada do BE disse que viu o empresário «em 2017 na revista Flash a louvar os grandes lucros da Bacalhôa [quinta que pertence à Fundação Berardo], e em janeiro de 2019 sem problemas em mostrar a sua imagem pública, a mostrar a sua mansão no programa do [apresentador Manuel Luís] Goucha».

«Eu chego aqui, ao parlamento, e na porta e diz ‘esta é a minha casa’. É de todos, não é só de vocês. Eu pessoalmente não tenho dívidas, tenho tentado ajudar. Claro que não tenho dívidas», declarou. Segundo a auditoria da EY à gestão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) entre 2000 e 2015, o banco público tinha neste ano uma exposição à Fundação Berardo e à Metalgest, sociedades do universo do empresário, na ordem dos 321 milhões de euros.

Joe Berardo esclareceu também que a garantia dada à CGD são os títulos da Associação Coleção Berardo, e não das obras de arte em si. «O que os bancos têm são os títulos da associação, sempre souberam isso», disse o empresário, acrescentando que não sabe «como é que [os bancos] fizeram a valorização dos títulos» da instituição.

A parlamentar do BE perguntou então se «os bancos não achavam que estavam a penhorar as obras». «Inicialmente eles queriam isso, mas isso está fora de questão. Nunca eu ia dar aquilo como garantia, aquilo faz parte da minha vida», afirmou Joe Berardo.

Mais tarde, a deputada do CDS-PP Cecília Meireles perguntou a Berardo o que aconteceria se os bancos tentassem executar os títulos da Associação Coleção Berardo. «Eles têm direito, que o façam», sugeriu o empresário. «E se o fizerem deixa de ser o senhor a mandar na associação?», perguntou a deputada centrista. «Ah! Ah! Ah!», gargalhou Berardo.

LEIA MAIS

Berardo pediu para audição não ser gravada para proteger a sua imagem

Diana Fialho foi agredida violentamente desde os 6 anos

 

Impala Instagram


RELACIONADOS