Hot Clube de Portugal programa concertos ‘online’ pagos, sem saber quando reabre

O Hot Clube de Portugal retoma na quinta-feira os concertos de jazz em Lisboa, mas apenas para transmissão ‘online’ paga, porque não sabe ainda quando reabrirá portas.

Hot Clube de Portugal programa concertos 'online' pagos, sem saber quando reabre

Hot Clube de Portugal programa concertos ‘online’ pagos, sem saber quando reabre

O Hot Clube de Portugal retoma na quinta-feira os concertos de jazz em Lisboa, mas apenas para transmissão ‘online’ paga, porque não sabe ainda quando reabrirá portas.

“A nossa vontade de abrir é imensa, mas não temos ainda uma data prevista de reabertura. Não somos um bar nem uma sala de espetáculos, mas temos concertos”, afirmou à agência Lusa Luís Cunha, da direção do clube de jazz, encerrado desde 12 de março por causa da covid-19.

O Hot Clube de Portugal, com mais de 70 anos e situado na Praça da Alegria, é composto por uma pequena sala de espetáculos e um pátio jardim, com uma capacidade total de 180 pessoas.

Para manter as condições de segurança exigidas por causa da covid-19 só poderá acolher cerca de vinte espectadores para assistir aos concertos, uma condicionante que os leva a manter ainda as portas fechadas.

Luís Cunha explica que, ainda assim, o Hot Clube de Portugal quer “começar a movimentar-se e a manter-se ativo”, pelo que programou uma série de concertos que decorrerão na Praça da Alegria, sem público e com transmissão ‘online’ paga.

Os concertos serão às quintas e sextas-feiras, apenas com formações reduzidas, por causa das distâncias de segurança exigidas, e transmitidos em direto na plataforma crowdcast.io/hotclubedeportugal.

Esta semana atua o trio TGB, formado por Sérgio Carolino (tuba), Mário Delgado (guitarra) e Alexandre Frazão bateria).

Na próxima semana, no dia 25, atua o trio do baixista Yuri Daniel, com Diogo Vida (piano) e Vicky Marques (bateria), seguindo-se, a 26, o trio do saxofonista Desidério Lázaro, com o contrabaixista Nelson Cascais e o baterista Luís Candeias.

A 02 de julho apresenta-se o contrabaixista André Rosinha, acompanhado por João Paulo Esteves da Silva (piano) e Marcos Cavaleiro (bateria).

Apenas foram anunciados estes concertos, com a direção do HCP na expectativa de poder, entretanto, reabrir o clube, mas sem qualquer garantia de datas.

O Hot Clube de Portugal, o mais antigo clube de jazz europeu em atividade, foi criado oficialmente em 19 de março de 1948, quando Luiz Villas-Boas, melómano e fundador do clube, preencheu a ficha de sócio número um.

A par do clube e da escola de jazz, parte do trabalho da instituição passa também pelo núcleo museológico, assente sobretudo no espólio deixado por Luiz Villas-Boas, que morreu em 1999.

Em mais de setenta anos de história, o Hot Clube de Portugal terá vivido o momento mais difícil em 2009, quando a cave onde funcionava há décadas, num edifício na Praça de Alegria, ficou destruída num incêndio, sobrando hoje apenas a fachada do prédio.

Dois anos depois, em 2011, o Hot Clube de Portugal retomou a atividade, duas portas ao lado da cave antiga, num espaço mais moderno, mas, ainda assim, pequeno. E com a ficha de sócio de Luiz Villas-Boas a relembrar quando tudo começou, em 1948.

 

SS //MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS