Homem de 78 anos desaparecido depois de assistido no hospital de Torres Novas

Um homem de 78 anos, doente de Alzheimer, está desaparecido, desde quarta-feira, depois de ter sido assistido nas urgências do hospital de Torres Novas, no distrito de Santarém, disseram hoje a família e a unidade hospitalar.

Homem de 78 anos desaparecido depois de assistido no hospital de Torres Novas

Homem de 78 anos desaparecido depois de assistido no hospital de Torres Novas

Um homem de 78 anos, doente de Alzheimer, está desaparecido, desde quarta-feira, depois de ter sido assistido nas urgências do hospital de Torres Novas, no distrito de Santarém, disseram hoje a família e a unidade hospitalar.

Em declarações à agência Lusa, Isilda Neves, sobrinha do idoso, contou que o homem foi transportado pelos bombeiros para o hospital de Torres Novas, na quarta-feira, e que, desde então, é desconhecido o seu paradeiro. O idoso “teve alta às 18:00″ de quarta-feira e, a partir do momento em que ele saiu do hospital, nunca mais ninguém soube dele”, realçou esta familiar, assinalando que o homem é doente de Alzheimer. Isilda Neves salientou que, apesar de terem sido fornecidos contactos, a família não foi informada sobre a alta hospitalar e só no dia seguinte quando tentou obter informações sobre o estado de saúde do homem é que deu conta do desaparecimento. Questionado pela Lusa através de correio eletrónico, o Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), que integra as unidades de Torres Novas, Tomar e Abrantes, indicou que o idoso “abandonou voluntariamente o serviço de urgência”.

Nove aldeias evacuadas e cerca de 2.500 hectares ardidos desde quinta-feira
Os incêndios que lavram em Portugal continental desde quinta-feira obrigaram a evacuar pelo menos nove aldeias e já terão consumido cerca de 2.500 hectares, disse hoje o comandante nacional de Emergência e Proteção Civil (… continue a ler aqui)

“Com a sua situação clínica estabilizada, o utente abandonou voluntariamente o serviço de urgência” da unidade de Torres Novas, “sem aviso a qualquer profissional de saúde, enquanto aguardava a alta médica na sala de espera”, precisou. O CHMT notou que foi realizada “uma alta administrativa no final” do dia da passada quarta-feira, como habitualmente acontece “nos casos de abandono voluntário do serviço de urgência por parte dos utentes”. Segundo o centro hospitalar, o Serviço de Urgência da Unidade de Torres Novas prestou “assistência médica a este utente”, ao início da tarde de quarta-feira, na sequência de “um conflito que alegadamente o envolveu”. “Aquando da triagem, o utente apresentava todos os sinais vitais estáveis, sem quaisquer queixas ou dor” e, durante esta avaliação, “manteve-se consciente, colaborante e cognitivamente íntegro”, adiantou.

O CHMT notou que foi realizada “uma alta administrativa no final” do dia da passada quarta-feira, como habitualmente acontece “nos casos de abandono voluntário do serviço de urgência por parte dos utentes”

Já na observação médica, disse, “não houve nenhuma alteração e nem se registou evidência de alteração comportamental”. Na resposta à Lusa, o centro hospitalar referiu que “apenas teve conhecimento do desaparecimento” do idoso na sexta-feira, após sinalização da família às autoridades, tendo colaborado com a investigação. O CHMT frisou que se mantém “cooperante para quaisquer diligências que sejam necessárias”, destacando que foram efetuadas voluntariamente “buscas em toda a Unidade de Torres Novas e perímetro exterior”. A instituição hospitalar expressou ainda a sua “solidariedade à família neste momento de grande preocupação e ansiedade”. Também em declarações à Lusa, uma fonte da PSP limitou-se a adiantar que foram dadas indicações às forças de segurança e bombeiros para tentar localizar o idoso desaparecido.

Impala Instagram


RELACIONADOS