Guterres apela ao uso da tecnologia na inclusão de mil milhões de pessoas com deficiências

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu hoje que a tecnologia seja usada para promover a inclusão de mais de mil milhões de pessoas com deficiências que precisam de assistência tecnológica em todo o mundo.

Guterres apela ao uso da tecnologia na inclusão de mil milhões de pessoas com deficiências

Guterres apela ao uso da tecnologia na inclusão de mil milhões de pessoas com deficiências

O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu hoje que a tecnologia seja usada para promover a inclusão de mais de mil milhões de pessoas com deficiências que precisam de assistência tecnológica em todo o mundo.

Na 15.ª sessão da conferência da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências, Guterres indicou que este é um importante momento de balanço e reflexão sobre o tema e que a tecnologia pode promover a igualdade de oportunidades, derrubar barreiras e criar ambientes inclusivos para pessoas com deficiências.

“Mais de mil milhões de pessoas em todo o mundo precisam de tecnologia de apoio — mas em muitos países essas ferramentas essenciais permanecem inacessíveis para quase todos”, disse.

“Abraçar a promessa da tecnologia significa fechar o fosso digital, expandir a acessibilidade e a inclusão, e melhorar a proteção das pessoas contra os seus perigos, acrescentou o ex-governante português.

O secretário-geral da ONU pediu ainda uma maior promoção da participação das pessoas com deficiências no mercado de trabalho em igualdade de condições, assim como uma maior participação na ação climática.

“Pessoas com deficiência são duas a quatro vezes mais propensas a morrer durante furacões, tsunamis e outros desastres naturais. Ao mesmo tempo, são um recurso único de conhecimento e experiência para construir sociedades mais resilientes”, observou Guterres.

O ex-primeiro-ministro de Portugal recordou que em situações de conflitos armados, muitas vezes as pessoas com deficiência não conseguem fugir da violência e não recebem apoio humanitário adequado, e exortou os Estados-membros da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências a garantir a proteção igualitária desses cidadãos e a fornecer-lhes acesso seguro, oportuno e desimpedido à assistência humanitária.

MYMM // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS