Grande Prémio do Monstra para filme de animação “A Fantástica Viagem de Marona”

A longa-metragem “A Fantástica Viagem de Marona”, da realizadora romena Anca Damian, é a vencedora do Grande Prémio do Monstra ao Vivo 2020 – Festival de Cinema de Animação de Lisboa, anunciou hoje o júri da competição.

Grande Prémio do Monstra para filme de animação

Grande Prémio do Monstra para filme de animação “A Fantástica Viagem de Marona”

A longa-metragem “A Fantástica Viagem de Marona”, da realizadora romena Anca Damian, é a vencedora do Grande Prémio do Monstra ao Vivo 2020 – Festival de Cinema de Animação de Lisboa, anunciou hoje o júri da competição.

“A Fantástica Viagem de Marona” conquistou também o prémio de Melhor Banda Sonora, pela música composta por Pablo Pico.

“Escolhemos este filme pela abordagem inteligente e impressiva (…) do modo ver e compreender as coisas”, disse o júri do festival, constituído pelos artistas, cineastas e programadores Nicolau Tudela, Agnàs Merley e Otto Alder. O júri destacou ainda a “riqueza visual” da obra e “a importância da esperança”, no seu enredo.

Distinguida nos festivais de Dublin, Estrasburgo e Gijón, “A Fantástica Viagem de Marona”, uma coprodução que envolve França, Bélgica e Roménia, é a mais recente longa-metragem de Anca Damian, vencedora do grande prémio de Annecy, em 2012, com “O Sr. Crulic”, e que tem o próximo filme, “The Island”, em preparação.

A ‘longa’ “Buñuel no Labirinto das Tartarugas”, do espanhol Salvador Simó, recebeu o Prémio Especial do Júri, “pela força” com que as técnicas de animação se conjugam com as imagens reais do documentário histórico “Terra Sem Pão, Las Hurdes”, dirigido por Luís Buñuel (1900-1983), em 1933, três anos depois de ter estreado “L’Age d’Or”, obra de referência do surrealismo no cinema.

Em “Buñuel no Labirinto das Tartarugas”, “há um cruzamento evidente da vertente surrealista (pensamentos libertos de toda a preocupação lógica), em contraste com a realidade social das pessoas, retratando a pobreza em que vivem, numa Espanha que viria ser dominada pela ditadura”, destacaram os jurados, numa referência à vitória das forças do general Francisco Franco, no final da Guerra Civil espanhola (1936-1939).

“Buñuel no Labirinto das Tartarugas” foi igualmente distinguido com o Prémio Especial do Júri, em Annecy, um dos mais importantes festivais de cinema de animação a nível mundial.

O júri do Monstra distinguiu ainda “Louis e Luca – A Viagem à Lua”, do norueguês Rasmus Sivertsen, como Melhor Filme para a Infância e Juventude, e “As Andorinhas de Cabul”, da dupla francesa Zabou Breitman e Eléa Gobbé-Mévellec, com uma Menção Especial.

Na sessão de encerramento, que decorreu esta noite na sala Fernando Lopes da Universidade Lusófona, o diretor artístico do Monstra, Fernando Galrito, disse que a edição de 2021, prevista para os dias 10 a 21 de março, vai homenagear o cinema belga de animação.

O Monstra, a cumprir vinte anos, deveria ter acontecido nos dias 18 a 29 de março deste ano, mas acabou por ser adiado por causa da covid-19, com a direção a optar por apresentar alguns filmes, apenas ‘online’, em maio.

No passado dia 29, foi retomado em sala de cinema, passando pelos cinemas São Jorge e City Alvalade, a Cinemateca Portuguesa e a Cinemateca Júnior.

MAG (SS) // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS