Governo de São Tomé e Príncipe quer 100% de crianças no ensino pré-escolar

O Governo são-tomense lançou hoje um projeto de educação pré-escolar itinerante para levar o ensino a todas as crianças do país e aumentar a taxa de cobertura de 74% para 100% em crianças dos quatro a cinco anos.

Governo de São Tomé e Príncipe quer 100% de crianças no ensino pré-escolar

Governo de São Tomé e Príncipe quer 100% de crianças no ensino pré-escolar

O Governo são-tomense lançou hoje um projeto de educação pré-escolar itinerante para levar o ensino a todas as crianças do país e aumentar a taxa de cobertura de 74% para 100% em crianças dos quatro a cinco anos.

“Nós sabemos que fizemos grandes progressos ao nível da cobertura da educação pré-escolar. Atualmente nós estamos a 74%, mas nós queremos chegar a 100%, mas ainda há muitas crianças fora do sistema pré-escolar”, disse a ministra da Educação e Ensino Superior, Julieta Rodrigues, no lançamento do projeto que conta com o apoio do Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF).

Julieta Rodrigues salientou que é missão do ministério criar condições para que a educação pré-escolar “seja mais abrangente à todas as crianças como forma de contribuir para o seu desenvolvimento mais harmonioso e integral” em todas as localidades.

“Nós queremos que todas as crianças tenham educação pré-escolar, porque a educação pré-escolar é determinante para a inclusão de todas as crianças e a garantia do sucesso escolar”, precisou a ministra da Educação.

A representante adjunta do UNICEF em São Tomé e Príncipe, Eva Millas, elogiou o Governo “por fazer da educação pré-escolar uma prioridade e por incentivar a implementação de intervenções inovadoras para melhorar o seu acesso equitativo para crianças de 4 a 5 anos”.

 “Em São Tomé e Príncipe, fornecer educação pré-escolar a cerca de 15 mil crianças de 4 a 5 anos não é tarefa fácil. Garantir disponibilidade de instalações pré-escolares, aumentar a acessibilidade dos programas para crianças de origens vulneráveis e melhorar a qualidade dos programas são os principais desafios que temos pela frente”, precisou a representante do UNICEF.

Eva Millas  admitiu que “os recursos do Governo muitas vezes não são suficientes para enfrentar os desafios existentes no lado da demanda e da oferta dos serviços de pré-escolar” por isso saudou a parceria com o UNICEF para implementação de “iniciativas inovadoras como a educação pré-escolar itinerante com o objetivo de aumentar a igualdade de oportunidades no acesso à educação pré-escolar, com foco nas crianças vulneráveis e com o propósito de favorecer a continuidade dos estudos nos níveis subsequentes e ao longo da vida”.

O programa itinerante de educação pré-escolar pretende levar alternativas para as comunidades rurais nos distritos e localidades com fraca disponibilidade de espaços e jardins “com o objetivo de garantir direito fundamental a educação à todas as crianças”.

Nesta primeira fase do programa serão abrangidas cerca de 97 crianças das comunidades de ilhéu das rolas, Monte Mário e Yô Grande, no distrito de Caué e da localidade de Abade no distrito de Mé-zóchi.

 

JYAF //RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS