Governo de Cabo Verde pretende criar Zona Económica Especial Tecnológica na Praia

O Governo cabo-verdiano pretende criar uma Zona Económica Especial Tecnológica na cidade da Praia, ilha de Santiago, que incluiu o Parque Tecnológico, que deverá ficar pronto no próximo ano, disse hoje o vice-primeiro-ministro.

Governo de Cabo Verde pretende criar Zona Económica Especial Tecnológica na Praia

Governo de Cabo Verde pretende criar Zona Económica Especial Tecnológica na Praia

O Governo cabo-verdiano pretende criar uma Zona Económica Especial Tecnológica na cidade da Praia, ilha de Santiago, que incluiu o Parque Tecnológico, que deverá ficar pronto no próximo ano, disse hoje o vice-primeiro-ministro.

“Estamos a criar na cidade da Praia, ilha de Santiago, uma Zona Económica Especial Tecnológica, que inclui o Parque Tecnológico, que vai fazer de Cabo Verde um país de referência em termos de criação de condições para a promoção dos talentos”, disse Olavo Correia, durante uma visita às obras do Parque Tecnológico, no bairro de Achada Grande Frente.

O também ministro das Finanças avançou que o Governo está a criar um conjunto de condições no plano fiscal e no plano parafiscal para atrair grandes empresas de base tecnológica para o país.

“O objetivo é produzirmos serviços a partir de Cabo Verde para o mundo”, enfatizou o governante, referindo ainda que o executivo quer criar novas oportunidades para os talentos que atuam no setor das tecnologias de informação e das telecomunicações.

“Vamos dotar este Centro Tecnológico de todas as condições necessárias para que os nossos jovens, no país e na diáspora, possam testar as ideias, criar, inovar, prestar e produzir serviços que poderão ser exportados à escala regional e à escala mundial”, continuou Olavo Correia.

Segundo o número dois do Governo, a Zona Económica Especial vai compreender um conjunto de condições que têm a ver com o ecossistema, envolvendo o Parque Tecnológico, as universidades, o Governo e as Câmaras Municipais.

“Fazendo de Cabo Verde e da cidade da Praia um Hub Tecnológico, envolvendo ainda a extensão deste projeto no Mindelo, São Vicente”, sustentou o ministro.

Aquando do lançamento da primeira pedra para a construção, há precisamente três anos, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse que o parque tecnológico vai ser uma plataforma de prestação de serviços em África.

“A ambição é colocar o Parque e o Data Center como referências regionais de serviços tecnológicos em África”, perspetivou o chefe do Governo, acreditando que também que vai alavancar o empreendedorismo no setor em Cabo Verde.

O Parque Tecnológico de Cabo Verde vai ocupar uma área de nove hectares de terreno nas imediações do Data Center.

Projetado pelo arquiteto cabo-verdiano Fernando Maurício dos Santos, a infraestrutura terá cinco edifícios: centro de empresas, centro de formação e treinamento, centro cívico, centro de incubação e outro Data Center, como extensão do atual.

O projeto é financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e pelo Governo de Cabo Verde em cerca de 32 milhões de euros.

 

RIPE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS