Gazprom anuncia conclusão do gasoduto Nord Stream 2 entre a Rússia e a Alemanha

O gasoduto Nord Stream 2, entre a Rússia e a Alemanha, está “totalmente concluído” anunciou hoje a empresa russa Gazprom sobre o projeto que chegou a ser adiado devido às ameaças de sanções norte-americanas e das tensões geopolíticas.  

Gazprom anuncia conclusão do gasoduto Nord Stream 2 entre a Rússia e a Alemanha

Gazprom anuncia conclusão do gasoduto Nord Stream 2 entre a Rússia e a Alemanha

O gasoduto Nord Stream 2, entre a Rússia e a Alemanha, está “totalmente concluído” anunciou hoje a empresa russa Gazprom sobre o projeto que chegou a ser adiado devido às ameaças de sanções norte-americanas e das tensões geopolíticas.  

“Após uma reunião de trabalho durante a manhã, na Gazprom, [o diretor geral do grupo] Alexei Miller disse, às 08:45 em Moscovo (05:45 em Lisboa), que a construção do gasoduto Nord Stream 2 está completamente concluída”, disse a companhia de energia numa mensagem divulgada através da rede de mensagens Telegram.

O gasoduto submarino no Mar Báltico deve duplicar as entregas de gás russo à Alemanha. 

Para os Estados Unidos e detratores europeus do projeto, o gasoduto vai fazer aumentar de forma duradoura a dependência energética europeia em relação à Rússia.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente russo, Vladimir Putin, insistiram ao longo dos últimos anos que o Nord Stream era um projeto puramente comercial, sem qualquer caráter político.

O novo gasoduto, com uma capacidade de transporte de 55 mil milhões de metros cúbicos de gás anualmente, tem uma extensão 1.230 quilómetros sob o Mar Báltico estabelecendo a mesma rota que o Nord Stream 1, a operar desde 2012.

Nos últimos anos, o projeto foi criticado por Washington, assim como pela Ucrânia que vê a posição geopolítica fragilizada com o funcionamento do gasoduto entre a Rússia e a Alemanha.

A posição dos Estados Unidos mudou com a Administração do Presidente Joe Biden, que alcançou um compromisso entre Washington e Berlim sobre o assunto.

Para a Ucrânia, o gasoduto pode vir a privar Kiev de, pelo menos, 1,5 mil milhões de dólares anuais que recebe pelo trânsito de gás russo através de território ucraniano e que se destina ao bloco europeu.

Em agosto, a chanceler alemã disse na Ucrânia que Berlim iria “fazer tudo” para prorrogar o contrato de trânsito russo-ucraniano que formalmente expira em 2024.

Na mesma altura, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, pediu a Merkel para considerar o Nord Stream 2 como uma “arma geopolítica perigosa”.

 

PSP // JNM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS