Freira acusada de desviar 340 mil euros e de roubar mobílias, galinhas, patos e um pavão

Chama-se Idalina Jacinta e está acusada pela justiça portuguesa de desviar cerca de 360 mil euros, 340 dos quais em dinheiro, e o restante em bens como mobiliário, perus, galinhas, patos e até um pavão.

Freira acusada de desviar 340 mil euros e de roubar mobílias, galinhas, patos e um pavão

Freira acusada de desviar 340 mil euros e de roubar mobílias, galinhas, patos e um pavão

Chama-se Idalina Jacinta e está acusada pela justiça portuguesa de desviar cerca de 360 mil euros, 340 dos quais em dinheiro, e o restante em bens como mobiliário, perus, galinhas, patos e até um pavão.

Chama-se Idalina Jacinta e está acusada pela justiça portuguesa de desviar cerca de 360 mil euros, 340 dos quais em dinheiro, e o restante em bens como mobiliário, perus, galinhas, patos e até um pavão.

Segundo o Correio da Manhã, Idalina foi freira durante 42 anos e está acusada de desviar dinheiro do Centro Social e Paroquial de Cerejais, em Alfândega da Fé. Os crimes terão sido cometidos entre 2007 e 2010, enquanto trabalhava na tesouraria daquele centro.  A mulher, com 75 anos, abandonou a vida religiosa e a Congregação das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora das Dores e está acusada de quatro crimes de peculato.

LEIA DEPOIS Noviças escravizadas por freiras em Famalicão fazem queixa ao Vaticano

Segundo a acusação do Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto diz que a idosa desviou a avultada quantia das contas bancárias e de aplicações financeiras para a sua, e de irmãos, mas também fez levantamentos.

Mas os crimes de Idalina não se fixam por aqui, a mulher está ainda acusada de desviar dinheiro das mensalidades dos utentes do lar, bem como os peregrinos que ali pernoitavam. As movimentações de bens e dinheiro começaram quando a freira se apercebeu que o centro iria mudar de direcção. Desta feito, começou a desviar bens para casa de um padre, entretanto já falecido.

A freira terá já devolvido dinheiro e bens no total de 45 mil euros, mas o Ministério Público deve a devolução de 314 mil euros.

De entre os bens roubados constam itens como uma mesa de cozinha, um fogão, uma motocultivadora, um motosserra, uma fotocopiadora, uma imagem de São Gonçalo e até roupa para utentes.

LEIA MAIS GNR prende oito pessoas por tráfico de droga no distrito do Porto

Meteorologia: Previsão do tempo para esta quarta-feira, 12 de fevereiro

Impala Instagram


RELACIONADOS