Fotojornalista Mário Cruz expõe no Barreiro

A exposição de fotografia “Living Among What’s Left Behind”, feita nas Filipinas pelo fotojornalista português Mário Cruz, estará a partir de 09 de novembro no auditório Augusto Cabrita, no Barreiro.

Fotojornalista Mário Cruz expõe no Barreiro

Fotojornalista Mário Cruz expõe no Barreiro

A exposição de fotografia “Living Among What’s Left Behind”, feita nas Filipinas pelo fotojornalista português Mário Cruz, estará a partir de 09 de novembro no auditório Augusto Cabrita, no Barreiro.

A exposição, que esteve patente este mês em Bruxelas, reúne 35 fotografias que Mário Cruz captou ao longo de um mês nas Filipinas, onde visitou comunidades que vivem ao longo do rio Pasig, testemunhando uma situação extrema de poluição ambiental.

Uma das fotografias incluídas na exposição deu a Mário Cruz o terceiro lugar na categoria Ambiente, em imagem ‘single’, no World Press Photo 2019.

A imagem premiada mostra uma criança a recolher materiais recicláveis, para obter algum tipo de rendimento que lhe permita ajudar a família, deitada num colchão rodeado de lixo, que flutua no rio Pasig, que já foi declarado biologicamente morto na década de 1990.

Com este trabalho, Mário Cruz venceu também a categoria Ambiente do prémio Estação Imagem 2019 Coimbra.

Em comunicado, o fotojornalista explica que esta exposição “retrata o perigoso caminho que a humanidade enfrenta, quando descura os direitos fundamentais e abandona a preservação do meio ambiente”.

“O rio Pasig, em Manila, é o reflexo de uma sociedade engolida por um círculo vicioso de poluição e as suas águas escondem-se debaixo das toneladas de lixo ali acumuladas”, recorda.

A exposição “Living Among What’s Left Behind” inaugurará às 17:00, sendo antecedida por uma palestra do autor às 15:00. Ficará patente até 02 de fevereiro.

Mário Cruz, 32 anos, fotojornalista na agência Lusa e duplamente premiado pelo World Press Photo, está atualmente a desenvolver a segunda parte do projeto fotográfico “Roof”, que documenta a vida dos portugueses que vivem em locais abandonados de Lisboa.

Este projeto já foi distinguido com o Prémio Magnum “30 Under 30”, e foi publicado no jornal The New York Times.

SS/(JRS) // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS