Flip é cenário de protesto contra jornalista que colocou operação Lava Jato em causa

Apoiantes do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, protestaram sexta-feira à noite contra a presença do jornalista Glenn Greenwald na Festa Internacional de Literatura de Paraty (Flip).

Flip é cenário de protesto contra jornalista que colocou operação Lava Jato em causa

Flip é cenário de protesto contra jornalista que colocou operação Lava Jato em causa

Apoiantes do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, protestaram sexta-feira à noite contra a presença do jornalista Glenn Greenwald na Festa Internacional de Literatura de Paraty (Flip).

O jornalista tornou-se um ‘alvo’ dos apoiantes de Jair Bolsonaro depois do portal de investigação The Intercept Brasil, fundado por ele, ter iniciado a divulgação de conteúdos texto e áudio que colocam em causa a imparcialidade da Operação Lava Jato.

Greenwald é convidado de um evento paralelo ao Flip e deve falar a partir de uma embarcação, nas margens do rio Perequê, na praia do Pontal, em Paraty.

Do outro lado do rio, dezenas de pessoas protestam com bandeiras do Brasil, camisolas e bandeiras na cor verde e amarela, tocando o hino nacional brasileiro com o volume muito alto.

Do lado da embarcação em que Glenn Greenwald irá falar, centenas de pessoas aplaudem-no e gritam “Lula Livre” e ainda “Juiz ladrão, Moro na prisão”, referindo-se ao juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública.

Na mesma embarcação são passadas músicas revolucionárias, incluindo o “Bella Ciao”, canção popular italiana ligada aos “partisans” da resistência antifascista durante a II Segunda Guerra Mundial.

Desde o dia 09 de junho que o The Intercept tem vindo a publicar – agora também em conjunto com outros órgãos de imprensa brasileiros – o conteúdo de mensagens que obteve de uma fonte anónima e que colocaram em causa a imparcialidade da operação Lava Jato.

Os diálogos obtidos apontam para irregularidades na operação, principalmente as mensagens trocadas entre o procurador Deltan Dallagnol e o ex-juiz e atual ministro Sérgio Moro, e indicam que os próprios promotores da Lava Jato tinham sérias dúvidas sobre a qualidade das provas contra o ex-Presidente Lula da Silva.

CYR // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS