Filmes de plataformas de ‘streaming’ mantêm elegibilidade para os Óscares

Os filmes produzidos e exibidos por plataformas digitais de ‘streaming’ vão continuar a ser elegíveis para os Óscares, por decisão da Academia de Cinema dos Estados Unidos anunciada hoje.

Filmes de plataformas de 'streaming' mantêm elegibilidade para os Óscares

Filmes de plataformas de ‘streaming’ mantêm elegibilidade para os Óscares

Os filmes produzidos e exibidos por plataformas digitais de ‘streaming’ vão continuar a ser elegíveis para os Óscares, por decisão da Academia de Cinema dos Estados Unidos anunciada hoje.

O conselho diretivo da academia anunciou algumas alterações nas regras para a próxima edição dos Óscares, de 2020, mas manteve intacta a que diz respeito à elegibilidade dos filmes para serem nomeados.

Em fevereiro a publicação Indiewire noticiava que um dos membros do conselho diretivo da Academia, o realizador e produtor Steven Spielberg, iria propor que os filmes produzidos e exibidos em plataformas de ‘streaming’, como a Netflix, ficassem impedidos de ser nomeados para os Óscares.

O conselho diretivo reuniu-se na terça-feira para aprovar as regras para a próxima edição dos Óscares, com Spielberg ausente, tendo decidido que aqueles filmes continuarão a ser elegíveis, desde que – tal como tem acontecido até aqui – tenham também pelo menos sete dias de exibição nos cinemas no condado de Los Angeles, Califórnia.

“Apoiamos a experiência da exibição em sala como parte integrante da arte das imagens em movimento e isso teve um peso importante nas nossas discussões”, afirmou o presidente da academia, John Bailey, em comunicado, sublinhando que a organização planeia estudar “as profundas alterações que estão a acontecer na indústria” cinematográfica.

Em causa está não só a elegibilidade para os Óscares de filmes que foram produzidos e exibidos em plataformas ‘online’, como “Roma”, de Alfonso Cuarón, premiado este ano, como também a forma como atualmente se consome cinema, em sala ou num pequeno ecrã.

Entre as alterações aprovadas pela Academia para a 92.ª edição está, por exemplo, a mudança do prémio de melhor filme em língua não inglesa. Passa a designar-se “Melhor Filme Internacional”, para que se olhe para a arte do cinema de forma mais inclusiva e enquanto “experiência universal”.

Na categoria de melhor filme de animação cai a obrigatoriedade de exibição em sala comercial das obras elegíveis.

A 92.ª edição dos Óscares está marcada para 09 de fevereiro de 2020.

SS // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS