Filme “A Metamorfose dos Pássaros” vence prémio do público do festival IndieLisboa

O filme “A Metamorfose dos Pássaros”, de Catarina Vasconcelos, venceu o Prémio Longa-metragem, atribuído por votação do público do festival IndieLisboa, no valor de dois mil euros, anunciou hoje a organização.

Filme

Filme “A Metamorfose dos Pássaros” vence prémio do público do festival IndieLisboa

O filme “A Metamorfose dos Pássaros”, de Catarina Vasconcelos, venceu o Prémio Longa-metragem, atribuído por votação do público do festival IndieLisboa, no valor de dois mil euros, anunciou hoje a organização.

A primeira ‘longa’ da realizadora portuguesa juntou a distinção do público do festival ao prémio de Melhor Realização do júri nacional, anunciado no sábado, dia em que foram conhecidos os vencedores das principais categorias da 17.ª edição do festival.

Estreado no festival de Berlim, em fevereiro, onde recebeu o Prémio da Crítica Internacional, “A Metamorfose dos Pássaros” conquista os dois prémios do IndieLisboa apenas uma semana depois de ter vencido a competição do festival de Pesaro, em Itália.

Na categoria de Curta-metragem, o prémio do público do IndieLisboa, no valor de mil euros, recaiu na produção francesa “Mardi de 8 à 18”, de Cecilia Arce, uma história sobre a forma como “o caos organizado de uma escola molda o quotidiano profissional de Névine, uma jovem professora cuja prioridade é ajudar os alunos e não controlá-los” que, de acordo com a crítica, promete ser capaz de nos fazer “voltar às cadeiras das salas de aulas”.

o Prémio IndieJúnior, no valor de 500 euros, foi para “A Minha Vida em Versalhes”, de Clémence Madeleine Perdrillat e Nathaniel H’limi, uma ‘curta’ de animação francesa sobre uma menina de oito anos, Violette, que, depois de perder os pais, vai viver com um tio que trabalha no Palácio de Versalhes.

No sábado, além do prémio de Melhor Realização atribuído a Catarina Vasconcelos por “A Metamorfose dos Pássaros”, o filme “A Febre”, da realizadora brasileira Maya Da-Rin, e a produção portuguesa “O Fim do Mundo”, do luso-suíço Basil da Cunha, venceram, respetivamente, as competições Internacional e Nacional de longas-metragens do festival IndieLisboa, as duas principais categorias do certame.

“Victoria”, produção belga de Isabelle Tollenaere, Liesbeth De Ceulaer e Sofie Benoot, conquistou o Prémio Especial do Júri, enquanto o Grande Prémio de Curta-metragem foi para a produção francesa “Tendre”, de Isabel Pagliai, e “Meine Liebe”, de Clara Jost, recebeu o prémio de melhor ‘curta’ portuguesa.

Os prémios do público foram apurados hoje, depois de concluída a votação, no domingo.

A 17.ª edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema, que costuma realizar-se entre abril e maio, teve este ano início em 25 de agosto, por causa da pandemia da covid-19, com uma seleção de mais de 200 filmes.

Os filmes vencedores estão em exibição até quarta-feira no Cinema Ideal, em Lisboa.

Na Cinemateca Portuguesa, continuam, até sexta-feira, os ciclos do festival dedicados ao realizador senegalês Ousmane Sembène e aos 50 anos do Fórum do Festival de Berlim.

SYL (MAG) // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS