Festival de arte e música Fazunchar regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto (C/ÁUDIO)

O festival Fazunchar, que inclui pinturas de murais, residências artísticas, concertos, ‘workshops’, ações comunitárias e visitas guiadas, regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto para a 2.ª edição.

Festival de arte e música Fazunchar regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto (C/ÁUDIO)

Festival de arte e música Fazunchar regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto (C/ÁUDIO)

O festival Fazunchar, que inclui pinturas de murais, residências artísticas, concertos, ‘workshops’, ações comunitárias e visitas guiadas, regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto para a 2.ª edição.

Figueiró dos Vinhos, Leiria, 24 jun 2020 (Lusa) — O festival Fazunchar, que inclui pinturas de murais, residências artísticas, concertos, ‘workshops’, ações comunitárias e visitas guiadas, regressa a Figueiró dos Vinhos em agosto para a 2.ª edição, que irá estender-se a todas as freguesias daquele concelho.

Depois de uma primeira edição, em agosto do ano passado, que ‘ofereceu’ 47 obras de arte a Figueiró dos Vinhos, o Fazunchar regressa àquela vila entre 15 e 23 de agosto, estendendo-se às freguesias de Aguda, Arega e Campelo, disse à Lusa a curadora do festival, Lara Seixo Rodrigues, da Plataforma de Intervenção Artística Mistaker Maker.

No ano passado, pelas ruas de Figueiró dos Vinhos, no distrito de Leiria, foram criados murais que tiveram como fonte de inspiração o pintor naturalista José Malhoa e seus contemporâneos, que transformaram aquela vila num “ponto nevrálgico” da arte portuguesa entre o final do século XIX e o início do século XX.

Este ano, não há um tema, mas os objetivos do festival “mantêm-se os mesmos”.

“Continuamos a querer reposicionar o nome de Figueiró dos Vinhos enquanto palco produtor de Arte e de Cultura. É um bocadinho renovar esse estatuto que nos séculos passados foi de Figueiró dos Vinhos, recuperar todos os elementos identitários que existem, que são inúmeros, e dar-lhes roupagens novas, novos significados através do trabalho artístico, de vários tipos de Arte”, referiu Lara Seixo Rodrigues.

Este ano, a novidade passa por levar o festival também para fora da vila. “Vamos levar Arte até às três [outras] freguesias [Aguda, Arega e Campelo], muito a pedido, e isso quer dizer muito do sucesso da primeira edição”.

O programa da 2.ª edição inclui pintura de murais, residências artísticas, instalação, concertos, filmes, ações comunitárias, visitas guiadas e ‘workshops’, todos de acesso gratuito.

A lista de convidados — “locais, nacionais e internacionais” – desta edição inclui Surma (projeto musical de Débora Umbelino), que irá estar em residência artística, a artista britânica Helen Bur e os portugueses Tamara Alves, Adamastor (Susana Diniz e Pedro Semeano) e Mantraste.

Ainda sem revelar a programação completa, Lara Seixo Rodrigues adiantou que “o momento de apresentação do trabalho final de Surma vai ser uma colaboração com Tamara Alves”.

Em todas as atividades, garante Lara Seixo Rodrigues, estarão garantidas “todas as questões de segurança que este contexto atual [da pandemia da covid-19] obriga”.

A programação completa, que será anunciada em breve, irá incluir também uma vertente digital.

O festival Fazunchar (o nome vem do dialeto dos comerciantes de têxteis locais, e quer dizer “fazer”) é promovido pela Câmara Municipal de Figueiró dos Vinhos.

JRS (JGA) // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS