Festa do Cinema Francês quer ir a mais cidades e focar-se no feminino

A Festa do Cinema Francês, que decorrerá em outubro, quer estender-se a mais cidades portuguesas e dar mais espaço ao cinema feito por mulheres e sobre mulheres, afirmou à Lusa a curadora festival, Katia Adler.

Festa do Cinema Francês quer ir a mais cidades e focar-se no feminino

Festa do Cinema Francês quer ir a mais cidades e focar-se no feminino

A Festa do Cinema Francês, que decorrerá em outubro, quer estender-se a mais cidades portuguesas e dar mais espaço ao cinema feito por mulheres e sobre mulheres, afirmou à Lusa a curadora festival, Katia Adler.

A Festa do Cinema Francês, que decorrerá em outubro, quer estender-se a mais cidades portuguesas e dar mais espaço ao cinema feito por mulheres e sobre mulheres, afirmou à Lusa a curadora festival, Katia Adler.

“A minha direção é dar foco ou homenagear as mulheres no cinema de uma maneira geral. Acho importante, estamos num movimento sobre feminismo e sobre as mulheres e temos de dar esse espaço”, sublinhou a programadora, que assumiu recentemente a produção.

Entre as mulheres em foco este ano estão Mia Hansen-Love, que estará em Portugal para apresentar o mais recente filme, “A ilha de Bergman”, e a cineasta Jacqueline Audry (1908-1977), que terá uma retrospetiva na Cinemateca, ambas já anunciadas anteriormente pela organização para esta 22.ª edição da Festa do Cinema Francês. Depois de um ano marcado pela pandemia da covid-19, este festival dedicado aos filmes de expressão francesa decorrerá em outubro com público em sala e também ‘online’, com uma seleção de obras na plataforma Filmin.

Nesta edição, a festa expande-se para nove cidades. Além de Lisboa, Porto, Almada, Coimbra e Oeiras, o festival ocorrerá em Braga, Évora, Viseu e Faro.

“É um cinema que funciona muito tem, tem bom público, existe uma curiosidade, uma irmandade entre França e Portugal. Eu acho que é importante estarmos em quase todos os lugares”, explicou Katia Adler.

Em 2022, a Festa do Cinema Francês deverá crescer novamente, tendo em conta que integrará a Temporada Cruzada Portugal-França. De acordo com a programação hoje revelada, a Festa do Cinema Francês contará com quase 60 filmes, dos quais 21 em antestreia nacional. Entre eles estão “Eiffel”, de Martin Bourboulon, sobre o engenheiro francês Gustav Eiffel, e que será o filme de abertura, e “A voz do amor”, de Valérie Lemercier, inspirado na vida da cantora Celine Dion, que encerrará a festa com a presença da realizadora.

A comédia “Adeus idiotas”, de Albert Dupontel, que venceu este ano sete Césares, “Arthur Rambo”, de Laurent Cantet, ou “Ilusões Perdidas”, de Xavier Giannoli, são outros filmes em antestreia. Destaque para a secção “Segunda Chance”, que recupera filmes de produção recente cuja estreia em Portugal foi afetada pela pandemia. Entre eles estão “Annette”, de Leos Carax, “Miss”, de Ruben Alves, “O adeus à a noite”, de André Téchiné, e “Os miseráveis”, de Ladj Dy.

Na secção “Visões do fantástico” serão mostrados cinco filmes: “A hora de saída”, de Sébastien Marnier, “Clímax”, de Gaspar Noé, “Ela”, de Paul Verhoeven, “Evolução”, de Lucile Hadzihalilovic, e “Mandíbulas”, de Quentin Dupieux. A Festa do Cinema Francês decorrerá de 07 a 31 de outubro.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS