Feira do Livro de Madrid vai contar com presença de sete autores portugueses

A Feira do Livro de Madrid, que se realiza de 27 de maio a 12 de junho, vai ter a presença de sete autores portugueses em 18 sessões de debate centradas no escritor José Saramago.

Feira do Livro de Madrid vai contar com presença de sete autores portugueses

Feira do Livro de Madrid vai contar com presença de sete autores portugueses

A Feira do Livro de Madrid, que se realiza de 27 de maio a 12 de junho, vai ter a presença de sete autores portugueses em 18 sessões de debate centradas no escritor José Saramago.

O Parque do Retiro, no centro de Madrid, volta a ser, segundo a organização, a maior livraria ao ar livre do mundo com a 81.ª edição da Feira do Livro a ser inaugurada na sexta-feira pela Rainha Letizia e a regressar em pleno após dois anos de pandemia.

De acordo com a embaixada de Portugal na capital espanhola, foram organizadas 18 sessões de diálogo entre escritores e jornalistas ibero-americanos e sete autores portugueses: Afonso Reis Cabral, Anabela Mota Ribeiro, Bernardo Carvalho, Joana Bértholo, Joana Estrela, José Luís Peixoto e José Riço Direitinho.

A programação terá como “foco” o escritor José Saramago e vai ser discutida a importância da América Latina na obra do autor, com o escritor nicaraguense, Prémio Cervantes, Sergio Ramírez, a escritora colombiana Laura Restrepo e o Prémio Saramago 2019, Afonso Reis Cabral, numa sessão moderada pela presidente da Fundação Saramago, Pilar del Rio.

Na sessão “Por Saramago: El pájaro que pía posado en el rinoceronte”, Anabela Mota Ribeiro e Fernando Gómez Aguilera dão ao público “um olhar sobre o ser humano que sustém o autor”, através de temas fundamentais que permitem percorrer o seu legado.

José Luís Peixoto, Prémio Saramago 2001, vai trazer a Madrid o projeto “Viagem a Portugal Revisited”, do Turismo de Portugal e da Fundação José Saramago.

Por outro lado, a reconstrução dos roteiros percorridos por Saramago, e descritos na obra homónima, é feita por autores contemporâneos nacionais e internacionais, entre os quais Manuel Rivas que se apresenta em diálogo com José Luís Peixoto.

Em conversa com o jornalista Fernando Berlín, o autor vai percorrer o caminho onde se cruza com José Saramago, num regresso a “Autobiografia”, publicado pela Alfaguara, em Espanha, em 2020.

Entre outras sessões, Joana Estrela e Bernardo Carvalho trazem à Feira do Livro as obras “Menino, menina” e “Atlas dos Grandes Exploradores”, tendo esta última obra vencido, entre outros, o Prémio “Non Fiction”, atribuído pela Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha 2019.

Este ano, a feira não terá uma lotação limitada e vai recuperar os seus habituais 1,3 quilómetros de comprimento, tornando-a na maior do século XXI, segundo a sua diretora, Eva Orúe, que adiantou na semana passada que o evento terá 378 ‘stands’, 400 expositores e um orçamento de 1,381 milhões de euros.

Além disso, este ano, em que não há um país convidado, a feira terá pela primeira vez um stand da União Europeia e abre “as suas portas” a outras indústrias culturais, como os museus e o cinema, a fim de chegar a um público mais vasto.

O cinema e a literatura vão estar reunidos na iniciativa “Do Livro ao Ecrã”, sobre adaptações audiovisuais de obras literárias.

Nesta edição, como novidade, e para evitar longas filas de espera, haverá quatro espaços dedicados às grandes empresas e, para evitar a poluição sonora, será eliminado o tradicional sistema de altifalantes com anúncios sobre a atividade dos feirantes.

A invasão da Ucrânia também vai estar presente num colóquio sobre como o ataque de Vladimir Putin levou a União Europeia a concentrar-se no Leste e outro sobre a desinformação da política russa.

A fim de dar maior visibilidade à feira, a sua presença nas redes sociais será multiplicada, com transmissões em ‘streaming’ e a produção de ‘podcasts’.

FPB // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS