Fado Bicha e Surma atuam no domingo no Central Park em Nova Iorque

Os portugueses Fado Bicha e Surma atuam no domingo no Central Park, em Nova Iorque, Estados Unidos da América (EUA), num espetáculo integrado na programação SummerStage da Fundação City Parks.

Fado Bicha e Surma atuam no domingo no Central Park em Nova Iorque

Fado Bicha e Surma atuam no domingo no Central Park em Nova Iorque

Os portugueses Fado Bicha e Surma atuam no domingo no Central Park, em Nova Iorque, Estados Unidos da América (EUA), num espetáculo integrado na programação SummerStage da Fundação City Parks.

Nesse dia, organizado em associação com o Arte Institute, além de Fado Bicha e Surma, em DJ set, atuam ainda os brasileiros Ney Matogrosso e Francisco, el Hombre, segundo informação disponível no ‘site’ da Fundação City Parks. O espetáculo é de entrada gratuita.

De acordo com o Arte Institute, num comunicado hoje divulgado, “o convite para Surma subir ao palco do SummerStage em Nova Iorque, surgiu da participação da artista na iniciativa RHI — Revolution Hope Imagination, evento organizado, pelo Arte Institute, em 12 cidades de Portugal, que pretende reinventar o diálogo entre arte & negócio, cultura & turismo, e criar pontes entre artistas portugueses e projetos mundiais”.

Esta semana, o Arte Institute promove em Nova Iorque outros dois “grandes eventos para celebrar Portugal e a cultura portuguesa contemporânea”: o NY Portuguese Short Film Festival e a iniciativa Portugal no SoHo.

A 12.ª edição do festival de cinema arranca hoje no Lincoln Center — Howard Gilman Theater.

Este ano, “a seleção oficial do festival é composta por nove curtas-metragens de realizadores portugueses e inclui filmes de animação, ficção e documentário”.

Entre os filmes está “Two Cartoonists” (“Dois cartoonistas”, de Bruno Teixeira, sobre António Antunes e Vasco Gargalo, ambos com carreira internacional e ambos nascidos em Vila Franca de Xira, “The Girl from Saturn” (“A rapariga de Saturno”), de Gonçalo Almeida, “The Coop”, de Rita Al Cunha, “Still Life”, de Francisca Coutinho, “Paralympia”, do coletivo Hyperion (Gonçalo Eugénio, Luísa Campino, Benjamim Gomes, Miguel Mesquita, Vasco Bäuerle, David Arrepia, Francisca Sá e Diogo Pinto), “Ouro sobre Azul”, de Andreia Pereira da Silva, “Meu castelo, minha casa”, de José Mira, “Hername is Clara”, de Cátia Biscaia, e “A Straight Story”, de João Garcia Neto.

No sábado, “celebra-se a herança portuguesa no SoHo”, na 8.ª edição de “Portugal no SoHo”, que irá encerrar uma das principais ruas daquele bairro de Nova Iorque, a Sullivan Street, “onde vão decorrer ‘workshops’ e atividades para crianças, degustações de comida tradicional portuguesa, bancas com livros portugueses e muita música e animação”.

JRS // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS