Exposição de Joaquín Sorolla com 118 obras inaugura hoje em Lisboa

A primeira grande exposição, em Portugal, do pintor espanhol Joaquín Sorolla y Bastida (1863-1923), considerado um “mestre da luz intensa”, é hoje inaugurada, no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, com 118 obras.

Exposição de Joaquín Sorolla com 118 obras inaugura hoje em Lisboa

Exposição de Joaquín Sorolla com 118 obras inaugura hoje em Lisboa

A primeira grande exposição, em Portugal, do pintor espanhol Joaquín Sorolla y Bastida (1863-1923), considerado um “mestre da luz intensa”, é hoje inaugurada, no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), em Lisboa, com 118 obras.

“Terra Adentro – A Espanha de Joaquín Sorolla” é o título desta mostra de “um pintor extraordinário, mas pouco conhecido em Portugal, e que o MNAA sempre desejou expor”, sublinhou o diretor do museu, António Filipe Pimentel, na visita guiada aos jornalistas realizada na quarta-feira.

Nas obras que fazem parte da mostra do artista nascido em Valência, – quase na totalidade provenientes do Museu Sorolla, em Madrid, com mais três de coleções particulares de Espanha – predominam as paisagens que gostava de pintar ao ar livre, durante as viagens que realizou em Espanha, na viragem do século XIX para o século XX.

A natureza atravessa as obras em exposição, mas além das paisagens, também são apresentadas pinturas da vida quotidiana, grandes cidades, como Toledo, o mar e as praias, com cenas de brincadeiras estivais de crianças e jovens veraneantes, e há uma sala dedicada às obras de caráter etnográfico, que revelam a Espanha rural e o seu nacionalismo estético, de inspiração regionalista.

De acordo com a comissária da mostra, a investigadora Carmen Pena, esta exposição “é sobre a beleza dos quadros de Sorolla, reveladores de uma cultura, e de uma certa época em Espanha”.

“Ele movia-se num círculo de artistas regionalistas, que, na altura, tinham grande importância, e procuravam a paisagem pura do interior”, apontou a investigadora, recordando que Sorolla gostava de pintar ao ar livre, em grandes telas.

Sublinhou ainda que o artista espanhol – considerado um dos grandes vultos da pintura moderna europeia – obteve grande êxito internacional logo no início da carreira, quando expôs pela primeira vez numa galeria em Paris, com 450 quadros, sucesso que se viria a repetir em exposições nos Estados Unidos.

Esta exposição foi apresentada no Museu Sorolla, em Madrid, em 2016, mas para o MNAA foi criada uma versão mais alargada, com novos núcleos e peças, com o objetivo de dar ao público português uma imagem mais abrangente da obra do artista.

A exposição é inaugurada hoje, às 18:30, e abre ao público na sexta-feira, ficando patente até 31 de março de 2019.

A exposição é organizada mediante um convénio estabelecido entre a Direção-Geral do Património Cultural, o Ministério de Cultura e Desporto, de Espanha, e a Fundação Museu Sorolla.

AG // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS