Executivo angolano diz que decisões sobre clima precisam de previsões credíveis

O ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, disse hoje que é necessário realizar mais estudos sobre o clima para permitir aos decisores tomar as medidas certas na altura certa.

Executivo angolano diz que decisões sobre clima precisam de previsões credíveis

Executivo angolano diz que decisões sobre clima precisam de previsões credíveis

O ministro angolano das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, disse hoje que é necessário realizar mais estudos sobre o clima para permitir aos decisores tomar as medidas certas na altura certa.

O ministro, que falava na abertura do 23.º Fórum Regional de Previsão Climática para a África Austral, que se realizou pela primeira vez em Angola, salientou que o executivo angolano é “sensível às questões do tempo e do clima” e considerou que “o desafio” é obter informações fiáveis relativas ao tempo e ao clima.

“É necessário que cada vez mais a nossa região tenha previsões antecipadas e credíveis dos serviços de meteorologia e climáticos, para que possamos minimizar as perdas resultantes dos impactos destes eventos climáticos extremos, especialmente na nossa região, tal como assistimos aos que ocorreram nos países irmãos como Malaui, Moçambique e Zimbabwe”, que foram atingidos este ano por ciclones devastadores.

O evento, que hoje começou e se prolonga até 30 de agosto, reúne delegados dos 16 países da região SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral) incluindo Moçambique e Angola e acontece numa altura em que a região sul do país é assolada por uma grave seca

“É necessário realizar estudos que permitam compreender os fenómenos (…) para que os decisores possam tomar as medidas certas no momento certo”, sublinhou o governante.

Por isso, o governo está a desenvolver um programa de modernização do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) que permitirá que este organismo possa “apoia o desenvolvimento económico e social do país”, partilhando informações fiáveis relativas ao tempo e ao clima com todos os cidadãos.

Para José Carvalho Rocha, este fórum “é uma oportunidade” para estabelecer bases de dados integradas de informações meteorológicas e de clima, que estejam disponíveis para toda a região da SADC e do mundo

“Precisamos de continuar a partilhar ideias, para que os decisores possam tomar as decisões certas”, reforçou.

Deste encontro de especialistas em meteorologia resultará, na sexta-feira, uma previsão sazonal regional para o período das chuvas na época 2019/2020, entre outubro e abril.

O bloco da SADC é constituído por Angola, Malauí, Ilhas Maurícias, Moçambique, Namíbia, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia, Zimbabué, África do Sul, Botsuana, República Democrática do Congo (RDCongo), Comores, E-swatini (antiga Suazilândia), Lesotho e Madagáscar.

RCR // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS