Milhares de estudantes gritam em Lisboa que «não há planeta B»

Milhares de estudantes estão a desfilar até à Assembleia da República, num protesto para exigir dos políticos ações contra as alterações climáticas e no qual gritam que “não há planeta B”.

Milhares de estudantes gritam em Lisboa que «não há planeta B»

Milhares de estudantes gritam em Lisboa que «não há planeta B»

Milhares de estudantes estão a desfilar até à Assembleia da República, num protesto para exigir dos políticos ações contra as alterações climáticas e no qual gritam que “não há planeta B”.

Milhares de estudantes estão desde as 11:00 a desfilar do Largo Camões até à Assembleia da República, em Lisboa, num protesto para exigir dos políticos ações contra as alterações climáticas e no qual gritam que “não há planeta B”. Empunhando cartazes onde se lê “A Terra esgotou a sua paciência e nós também”, “Justiça climática já”, ou ainda “Estado de Emergência”, os jovens desfilam e gritam palavras de ordem entre as quais a mais reclamada é: “Não há Planeta B”.

“Estamos a faltar às aulas para te dar uma [aula]”

Entre as várias mensagens espalhadas ao longo da marcha encontram-se também cartazes com palavras em inglês como por exemplo “We are skipping our lessons to teach you one (estamos a faltar às aulas para te dar uma [aula]. Pelas 11:45, os estudantes chegaram à Assembleia da República onde estão concentrados junto à escadaria num protesto ruidoso.

António Tonga, 25 anos, um dos muitos estudantes que hoje se associaram a este protesto disse à Lusa que o problema das alterações climáticas está a tornar-se secundário “temos de olhar para as alterações climáticas como um problema incontornável que vai boicotar o futuro de todos, por isso pedimos a ajuda dos políticos para resolver um problema que já devia ser resolvido há muito tempo”.

“Não podemos ter o futuro hipotecado, temos de salvar o planeta”, retorquiu.

Também Mónica Vicente de 21 anos, que veio de Aveiro com os amigos para estar presente no desfile em defesa do clima, afirmou à Lusa que se tem “de mudar a forma como se trata o planeta, isso só se muda se mudarmos o sistema capitalista”.

Os estudantes juntaram-se hoje no Largo do Camões, em Lisboa, onde cerca das 11:00 começaram a desfilar em direção à Assembleia da República. Empunhando cartazes onde se lê “A Terra esgotou a sua paciência e nós também”, “Justiça climática já”, ou ainda “Estado de Emergência”, os jovens desfilam e gritan palavras de ordem entre as quais a mais reclamada é: “Não há Planeta B”.

Entre as várias mensagens espalhadas ao longo da marcha encontram-se também cartazes com palavras em inglês como por exemplo “We are skipping our lessons to teach you one (estamos a faltar às aulas para te dar uma [aula].

Esta greve estudantil mundial tem como lema “fazer greve por um clima seguro” e culmina uma série de manifestações semanais iniciadas no ano passado pela sueca Greta Thunberg, 16 anos, nomeada para o prémio Nobel da paz. Em Portugal estão a decorrer protestos durante a manhã em mais de 20 cidades.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para sábado, 16 de março

Netflix explica tudo o que aconteceu no desaparecimento de Maddie [vídeo]

Atirador transmite em direto ataque em mesquita na Nova Zelândia [vídeo]

Amélia Fialho terá expulsado filha e genro de casa antes de ter sido assassinada

Impala Instagram


RELACIONADOS