EDP integra ‘task force’ de 60 empresas mundiais para investir 420.000 ME em sustentabilidade

A EDP anunciou hoje que integra a ‘task force’ de administradores financeiros de 60 empresas mundiais, que se comprometeram com o investimento de 420.000 milhões de euros em desenvolvimento sustentável, no âmbito de uma iniciativa das Nações Unidas.

EDP integra 'task force' de 60 empresas mundiais para investir 420.000 ME em sustentabilidade

EDP integra ‘task force’ de 60 empresas mundiais para investir 420.000 ME em sustentabilidade

A EDP anunciou hoje que integra a ‘task force’ de administradores financeiros de 60 empresas mundiais, que se comprometeram com o investimento de 420.000 milhões de euros em desenvolvimento sustentável, no âmbito de uma iniciativa das Nações Unidas.

A ‘task force’ de CFO, criada no âmbito da conferência UN Global Compact e na qual a EDP é a única empresa portuguesa representada, anunciou hoje o compromisso de investir cerca de 420.000 milhões de euros, nos próximos cinco anos, em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Em declarações à agência Lusa, o CFO da EDP, Rui Teixeira, explicou que se trata de “uma agregação de todos os compromissos que as 60 empresas comunicaram ao mercado como sendo os seus planos estratégicos”.

“Só em 60 empresas já estão identificados estes 420.000 milhões de euros de investimento em projetos que tenham impacto direto em termos de alcançar os ODS”, explicou o administrador.

Adicionalmente, a ‘task force’ compromete-se ainda a dedicar perto de 50% dos montantes associados a financiamento a políticas sustentáveis, nomeadamente através de emissões de dívida ‘verdes’, cujo financiamento só pode ser aplicado em projetos de energia renovável.

“Fizemos a primeira emissão [de dívida ‘verde’] em 2018 e até à data já temos cerca de 6.300 milhões de euros em emissões ‘verdes’, aliás, fizemos uma faz hoje duas semanas, mais 1,25 milhões de euros”, lembrou o responsável.

Rui Teixeira referiu que os compromissos assumidos pelos CFO “são encarados como um ponto de partida para se atingir a completa integração das metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) nas finanças das empresas.

“Nós somos a única empresa portuguesa que integra este grupo [de CFO], e eu creio que esta participação no fundo, a única coisa que faz é só reafirmar o compromisso inequívoco, muito claro que nós temos para com a sustentabilidade, em geral, em particular, obviamente, para a transição energética, dado o nosso negócio”, apontou.

Ao longo dos próximos dias, a conferência global promovida pela ONU reúne chefes de Estado, líderes empresariais, especialistas e representantes das Nações Unidas para debater a emergência climática, as desigualdades sociais e a necessidade de reconstruir um mundo mais justo e equitativo, assente na cooperação internacional.

MPE // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS