EDP anuncia investimentos de 470 ME em projetos renováveis nas Astúrias, em Espanha

A EDP anunciou hoje um investimento de 470 milhões de euros em projetos renováveis na província das Astúrias, onde vai construir o primeiro parque eólico flutuante de Espanha e reconverter as centrais de Aboño e Soto de Ribera.

EDP anuncia investimentos de 470 ME em projetos renováveis nas Astúrias, em Espanha

EDP anuncia investimentos de 470 ME em projetos renováveis nas Astúrias, em Espanha

A EDP anunciou hoje um investimento de 470 milhões de euros em projetos renováveis na província das Astúrias, onde vai construir o primeiro parque eólico flutuante de Espanha e reconverter as centrais de Aboño e Soto de Ribera.

Segundo adianta a empresa em comunicado, estes planos foram apresentados hoje pela EDP Espanha a Adrián Barbón, presidente do governo do Principado de Astúrias, região onde a elétrica está presente há 20 anos.

No âmbito da sua aposta na transição energética, a EDP propõe-se agora “reforçar a sua liderança com projetos ambiciosos” ligados às energias renováveis naquela província espanhola, designadamente o desenvolvimento do primeiro parque eólico flutuante do país e a reconversão das centrais de Aboño e Soto de Ribera para projetos ligados ao hidrogénio verde e ao armazenamento energético e geração de energia renovável.

No caso de Soto de Ribera, o objetivo é converter esta central num “centro de referência do armazenamento de energia renovável e de novos usos do hidrogénio verde”, transformando-a na “bateria verde” das Astúrias.

“No que diz respeito à geração renovável, a EDP já iniciou o processo de uma central mini hidráulica que aproveitaria as águas do Nalón ao passar pela central. Esta instalação juntar-se-ia a um parque fotovoltaico que a empresa planeia implementar nos terrenos do projeto”, refere a elétrica.

Segundo explica, “a energia renovável gerada por ambas as instalações seria injetada na rede para responder à procura e permitiria produzir e armazenar hidrogénio verde, sendo o excedente armazenado em dois tipos de baterias: iões de lítio e uma combinação de baterias RedOx e de segunda vida (por exemplo, para veículos)”.

Já quanto à central térmica de Aboño, que durante quase 50 anos garantiu a estabilidade do abastecimento elétrico à indústria asturiana, os planos da EDP passam por “manter o protagonismo” desta infraestrutura, mas no novo contexto da transição energética.

“A empresa propõe converter esta localização estratégica no vale asturiano do hidrogénio verde: O conhecimento técnico, do mercado e a localização geográfica privilegiada destas instalações garantiriam a produção e o abastecimento à indústria asturiana da eletricidade e do hidrogénio verde necessários para a sua operação”, lê-se no comunicado.

Assim, a EDP propõe-se desenvolver um parque fotovoltaico nas atuais instalações de Aboño, que, “somado ao parque eólico ‘offshore’ flutuante que a empresa tem projetado para a costa asturiana, ao fácil acesso a água, às infraestruturas elétricas e ao porto de El Musel, permitem a produção e o armazenamento necessários de hidrogénio verde em Aboño”.

PD // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS