Edifício público em foco na Bienal de Veneza através de obras de arquitetos portugueses

Edifício público em foco na Bienal de Veneza através de obras de arquitetos portugueses

Doze edifícios públicos criados por arquitetos portugueses de várias gerações nos últimos dez anos e filmes de quatro artistas integram a representação de Portugal na Bienal de Arquitetura de Veneza, intitulado “Public Without Rethoric”, foi hoje anunciado.

Lisboa, 09 abr (Lusa) – Doze edifícios públicos criados por arquitetos portugueses de várias gerações nos últimos dez anos e filmes de quatro artistas integram a representação de Portugal na Bienal de Arquitetura de Veneza, intitulado “Public Without Rethoric”, foi hoje anunciado.


O projeto foi apresentado pelos curadores, Nuno Brandão Costa e Sérgio Mah, no Palácio da Ajuda, em lisboa, na presença do ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, do secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, da diretora-geral das Artes, Paula Varanda, e de vários arquitetos e artistas envolvidos.


“Public Without Rethoric” vai ficar instalado no Palazzo Giustinian Lolin, sede da Fundação Ugo e Olga Levi, junto ao Grande Canal, em Veneza, entidade com a qual a Direção-Geral das Artes, organizadora da representação portuguesa, assinou um protocolo de utilização para este ano.


Álvaro Siza, Eduardo Souto Moura, Carlos Prata, Inês Lobo, Manuel e Francisco Aires Mateus e Ricardo Bak Gordon são alguns dos arquitetos que assinaram as 12 obras, enquanto André Cepeda, Catarina Mourão, Nuno Cera e Salomé Lamas foram os quatro artistas convidados a criar filmes sobre os edifícios selecionados.


Questionada pela agência Lusa sobre o montante disponibilizado para a representação de Portugal na 16.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, Paula Varanda indicou que o valor global é de 450 mil euros, tendo 200 mil euros sido atribuídos aos autores do projeto português e 250 mil euros para o aluguer do espaço durante os seis meses do decurso da exposição, incluindo despesas de manutenção.



AG // TDI

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Edifício público em foco na Bienal de Veneza através de obras de arquitetos portugueses

Doze edifícios públicos criados por arquitetos portugueses de várias gerações nos últimos dez anos e filmes de quatro artistas integram a representação de Portugal na Bienal de Arquitetura de Veneza, intitulado “Public Without Rethoric”, foi hoje anunciado.